sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Permanece em paz...


Na atualidade, vive-se na Terra momentos de grande insegurança nas várias áreas humanas.

A busca desenfreada pelos recursos materiais, pelos destaques na sociedade, pela posse de títulos passageiros, tem trazido muita insatisfação às criaturas.

A frustração acompanha os que tentam atender suas ambições e não o conseguem.

Muitos caem em profundas depressões, outros se tornam amargos. A grande maioria, indiferente à vida que os rodeia.

A cultura que vige é a da educação mal orientada, na qual pais sem norte não sabem como bem conduzir seus filhos, onde o poder do ouro e as facilidades desejadas, recheadas de prazeres, movimentam os objetivos imaturos.

E onde ainda, grande número de criaturas se esquece dos valores morais e dos compromissos éticos, tão necessários ao nosso crescimento espiritual.

Dessa forma, quando impossibilitados de ter o que almejam, a violência e a bajulação tomam a frente nos métodos utilizados.

O educando, orientado nessa filosofia onde o ter é mais importante do que o ser, tem despertados sentimentos que o levam a tomar do outro o que não consegue naturalmente ter.

* * *

Quando, porém, conseguimos vislumbrar com lente mais possante a realidade da vida, essa postura se modifica.

Identificamos, então, os valores que valem a pena conquistar, e as ilusões de que necessitamos nos desembaraçar.

Conseguimos perceber que uma vida levada com simplicidade, traz mais alegria e leveza ao coração.

Que as possíveis dificuldades e mesmo as carências que enfrentamos, podem representar bênçãos de aprendizado.

Entendemos que os tesouros que mais nos enriquecem são aqueles que o ladrão não rouba, a traça não rói, a ferrugem não consome.

Que a fé, a tranquilidade, a paz e a paciência nos preenchem a alma, constituindo nosso tesouro interior.

Dessa forma, já não há preocupação com o que nos seja subtraído, nem mesmo com o corpo passageiro, porque sabemos que a vida é imortal.

E aprendemos que, em qualquer situação, na existência terrena, permanecer em paz é ser imensamente rico.

* * *

De que lente possante, no entanto, nos devemos servir?

É o Evangelho de Jesus.

O conhecimento dos seus ensinamentos modifica a forma de enxergarmos a vida e seus valores, na Terra.

A sua aplicação no dia a dia nos concede tesouros incomparáveis de paz e de júbilo, jamais imaginados.

Buscar o aprimoramento moral na luta pelos valores justos e realmente necessários passa a ser o fanal ansiado.

Abarrotar nossa alma de sentimentos nobres e engrandecedores se transforma em valoroso objetivo na vida.

Acumular conhecimentos que possam clarear a mente e nos enriquecer o Espírito, torna-se a meta a alcançar.

Amar a si mesmo, ao próximo e a Deus sobre todas as coisas é preparação para a viagem de retorno à pátria maior, com o coração rico, tranquilo e leve.

Buscar simplicidade, amor e fraternidade é garantia de uma vida mais tranquila.

É conseguir permanecer em paz.


Redação do Momento Espírita, com base no cap. VI, do livroLibertação pelo amor, pelo Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. LEAL.
Em 2.4.2016.















segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

O erro...


Quem é que nunca fez nada de errado?

Naturalmente, todos nós, algumas vezes na vida, cometemos erros, seja intencionalmente ou não.

O erro faz parte do aprendizado.

Por trás de todo erro está a ignorância, o orgulho, ou o egoísmo.

O ignorante erra por desconhecer, o orgulhoso por se julgar mais importante do que as demais pessoas e o egoísta por pensar somente em si.

O que caracteriza o erro não são os padrões sociais ou as diretrizes éticas estabelecidas, mas sim suas consequências sobre o indivíduo e a sociedade.

O que torna algum gesto desacertado são os seus efeitos malignos.

Erramos quando nossos atos ferem alguém. Quando invadimos o direito à felicidade do próximo.
 
Quando destruímos, ao invés de construir.

Numa palavra, erramos sempre que geramos sofrimento para os outros ou para nós mesmos.

Por estar vinculado ao sofrimento, vemos que o erro não é um bom negócio.

Entretanto, se formos sábios, saberemos tirar frutos dele.

De uma forma muito especial, Deus sempre cuida para que, dos nossos equívocos, tiremos algo de bom.

Isto acontece por meio da Lei de Causa e Efeito, que faz com que todo o bem, como todo o mal realizado retorne ao seu realizador.

No campo dos sofrimentos isto se chama expiação.

Mas para tornar o processo menos penoso, podemos recorrer ao arrependimento e à reparação.

Arrepender-se é, portanto, o primeiro passo na correção de um desatino.

Existem pessoas que só se arrependem dos seus erros quando estão colhendo as consequências.

Quanto mais demoramos a nos arrepender, mais sofremos.

O arrependimento deve provocar um desejo de reparação, que consiste em fazer o bem a quem se havia feito mal.

Mas nem todas as faltas implicam em prejuízos diretos e efetivos.

Quer dizer, nem sempre teremos de expiar, ou sofrer.

Nesses casos, a reparação se opera fazendo-se o que deveria e foi negligenciado. Cumprindo deveres desprezados, missões não preenchidas.

Quem tem sido orgulhoso, buscará tornar-se humilde. O rude procurará ser amável. O ocioso passará a ser útil e o egoísta, caridoso.

Costuma-se dizer que errar é humano.

Nós poderíamos inverter o raciocínio dizendo que corrigir erros é que é humano, pois o homem não pode desprezar a sua fantástica capacidade de racionalização ao persistir em atitudes que somente o infelicitam.

Reconhece-se, então, o homem de bem pela capacidade com que ele substitui seus defeitos por virtudes superiores.

* * *

Os efeitos dos nossos atos se estendem, muitas vezes, para além da existência atual.

Isso explica os sofrimentos atuais, cujas causas não se encontram no presente.

Várias vezes estamos recebendo hoje os efeitos de nossos atos de vidas passadas.

Nenhum Espírito atinge a perfeição, sem antes reparar os erros do seu caminho evolutivo.

Por isso, hoje é o dia de fazer o melhor!


Redação do Momento Espírita. Disponível no CD Momento Espírita, v. 1, ed. Fep.
















terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

Prece...


Pai de infinita Bondade, sustenta-nos o coração no caminho que nos assinalaste!

Infunde-nos o desejo de ajudar àqueles que nos cercam, dando-lhes das migalhas que possuímos para que a felicidade se multiplique entre nós.

Dá-nos a força de lutar pela nossa própria regeneração, nos círculos de trabalho em que fomos situados, por teus sábios desígnios.

Auxilia-nos a conter as nossas próprias fraquezas, para que não venhamos a cair nas trevas, vitimados pela violência.

Pai, não deixes que a alegria nos enfraqueça e nem permitas que a dor nos sufoque.

Ensina-nos a reconhecer tua bondade em todos os acontecimentos e em todas as cousas.

Nos dias de aflição, faze-nos contemplar tua luz, através de nossas lágrimas e nas horas de reconforto, auxilia-nos a estender tuas bênçãos com os nossos semelhantes.

Dá-nos conformação no sofrimento, paciência no trabalho e socorro nas tarefas difíceis.

Concede-nos, sobretudo, a graça de compreender a tua vontade seja como for, onde estivermos, a fim de que saibamos servir em teu nome e para que sejamos filhos dignos de teu infinito amor.

Assim seja.


Por: Agar
Médium: Francisco Cândido Xavier
























Permanece em paz...

Na atualidade, vive-se na Terra momentos de grande insegurança nas várias áreas humanas. A busca desenfreada pelos recursos materiais, pelos...