terça-feira, 30 de junho de 2015

"Lembra-te de que um sorriso de confiança, uma prece de ternura, uma frase de bom ânimo, um gesto de solidariedade e um minuto de paz não têm preço na Terra." (Emmanuel)

 
Ding Ding
Olhe para o alto


Conta-se que uma senhora, cujo trabalho exigia leitura constante, começou a ter dificuldades com os seus olhos, por isso foi consultar um especialista.

Depois de um exame, o profissional lhe disse: "seus olhos estão somente cansados; você precisa descansa-los."

Ela replicou: "mas isso é impossível, por causa do tipo de trabalho que eu faço".

Depois de alguns momentos, o médico respondeu: "tem janelas em seu local de trabalho?"

"Oh, sim," respondeu ela com entusiasmo.

"Das janelas da frente pode-se ver os picos de montanhas distantes, e das janelas dos fundos pode-se contemplar um belo e produtivo pomar."

O médico respondeu: "é exatamente isto o que você precisa".

Quando sentir seus olhos cansados, olhe para as suas montanhas por uns dez minutos - por vinte minutos seria melhor.

"Olhar para longe vai descansar os seus olhos!"

*     *      *

Esse fato singelo pode nos trazer valiosos ensinamentos.

Se é verdade que no âmbito físico podemos descansar os olhos, olhando para longe, também pode ser verdadeiro para as questões espirituais.

Os olhos da alma muitas vezes estão cansados e fracos de tanto focalizar problemas e dificuldades.

Nesse momento, olhar à distância e para o alto, vai ajudar você a restaurar sua perspectiva espiritual.

Às vezes você sente a sobrecarga das dificuldades da vida. No entanto, se voltar os olhos para Deus, poderá visualizar seus problemas na devida proporção e renovar suas forças e o seu bom ânimo.

Vamos, levante os seus olhos!

Quando as imagens dos problemas começarem a ameaçar a sua disposição para a luta, eleve o olhar e busque paisagens distantes.

Quando você vislumbra os obstáculos de um ponto de vista elevado, eles parecem menos ameaçadores e facilmente conseguirá supera-los.

Mas se os observa de um ponto inferior, eles assumem proporções gigantescas e paralisam a sua vontade de vencer.

Vamos lá... desvie, por alguns minutos, seu olhar.

Olhe para a gigantesca força que habita o infinito azul, a quem chamamos Deus.

Pode ter certeza de que o socorro virá. Uma onda de tranquilidade lhe invadirá a alma e aplacará os seus olhos cansados.

E essa onda de harmonia facilitará a solução dos problemas.

Sua alma se aquietará e as dificuldades farão silêncio.

E nesse silêncio você ouvirá as respostas que o seu olhar cansado buscou no infinito.

Pense nisso, e quando os olhos da alma estiverem cansados, eleve o olhar ao Senhor da Vida e Nele encontrará o alívio que busca.

*     *     *

Quando os dias frios e cinzentos do inverno cobrirem o seu olhar com as brumas escuras da tristeza, abra as cortinas do horizonte e contemple a primavera invencível, que logo recobrirá com tapetes perfumados os campos crestados pela invernia.

Quando as dores da alma ameaçarem a sua esperança, rasgue as cortinas do tempo e mire a face sorridente da eternidade a lhe dizer, como quem sabe a verdade: esse dia de sombras também passará.


Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em história de autoria ignorada.

Ding Ding
Um bom dia!!!


segunda-feira, 29 de junho de 2015

"Importante pensar que não apenas teremos o que damos, mas igualmente viveremos naquilo que proporcionarmos aos outros. Daí o impositivo de doarmos tão-somente o bem, integralmente o bem." (Emmanuel – Chico Xavier).

GifO exemploGif


Havia um garoto que, nos seus quase oito anos, adquirira um hábito nada salutar.

Tudo para ele se resumia em dinheiro.

Queria saber o preço de tudo o que via. Se não custasse grande coisa, para ele não tinha valor algum.

Nem se apercebia o pequeno que há muitas coisas que dinheiro algum compra.

E dentre essas coisas, algumas são as melhores do mundo.

Certo dia, no café da manhã, ele teve o cuidado de colocar sobre o prato da sua mãe um papelzinho cuidadosamente dobrado.

A mãe o abriu e leu:

"Mamãe me deve: por levar recados - 3 reais; por tirar o lixo - 2 reais; por varrer o chão - 2 reais; extras - 1 real.

Total que mamãe me deve: oito reais."

A mãe espantou-se no primeiro momento.

Depois, sorriu, guardou o bilhetinho no bolso do avental e não disse nada.

O garoto foi para a escola e, naturalmente, retornou faminto.

Correu para a mesa do almoço.

Sobre o seu prato estava o seu bilhetinho com os oito reais.

Os seus olhos faiscaram.

Enfiou depressa o dinheiro no bolso e ficou imaginando o que compraria com aquela recompensa.

Mas, então, percebeu que havia um outro papel ao lado do seu prato.

Igualzinho ao seu e bem dobrado.

Ele abriu e viu que sua mãe também lhe deixara uma conta:

"Filhinho deve à mamãe: por amá-lo - nada.

Por cuidar da sua catapora - nada.

Pelas roupas, calçados e brinquedos nada.

Pelas refeições e pelo lindo quarto - nada.

Total que filhinho deve à mamãe - nada."

O menino ficou sentado, lendo e relendo a sua nova conta. Não conseguia dizer nenhuma palavra.

Depois se levantou, pegou os oito reais e os colocou na mão de sua mãe.

A partir deste dia, ele passou a ajudar sua mãe por amor.

Nossos filhos são espíritos que trazem suas virtudes e suas paixões inferiores de outras existências.

Cabe-nos examiná-las para auxiliá-los na consolidação das primeiras e no combate às segundas.

Todo momento é propício e não deve ser desperdiçado.

As ações são sempre mais fortes que as palavras.

Na condução dos nossos filhos, cabe-nos executar


Redação do Momento Espírita
Gif
Feliz e abençoado dia!!!

sexta-feira, 26 de junho de 2015

"Se você puder, hoje ainda: olvide contratempos e mostre um sorriso mais amplo para aqueles que lhe compartilham a vida; dê mais um toque de felicidade e beleza em seu recanto doméstico; faça a visita, mesmo ligeira, ao doente que você deseja reconfortar; escreva, ainda que seja um simples bilhete, transmitindo esperança e tranqüilidade, em favor de alguém; melhore os seus conhecimentos, no setor de trabalho a que esteja empregado o seu tempo; estenda algo mais de otimismo e de alegria aos que se encontrem nas suas faixas de convivência; procure esquecer - mas esquecer mesmo - tudo o que se lhe faça motivo de tristeza ou aborrecimento; leia alguma página edificante e escute música que pacifique o coração; dedique alguns minutos à meditação e à prece; pratique, pelo menos, uma boa ação sem contar isso a ninguém. Estas indicações de apoio espiritual, se forem observadas, farão grande bem aos outros, mas especialmente a você mesmo." (André Luiz)


Gif My Melody
Aborrecimentos


Nada mais comum, nas atividades terrenas, do que o hábito enraizado das querelas, dos desentendimentos, das chateações.

Nada mais corriqueiro entre os indivíduos humanos.

Como um campo de meninos, em que cada gesto, cada nota, cada menção se torna um bom motivo para contendas e mal-entendidos, também na sociedade dos adultos o mesmo fenômeno ocorre.

Mais do que compreensível é que você, semelhante a um menino de pavio curto, libere adrenalina nos episódios cotidianos que desafiem a sua estabilidade emocional.

Compreensível que se agite, que se irrite, que alteie a voz, que afivele ao rosto expressões feias de diversos matizes.

Em virtude do nível do seu mundo íntimo, tudo isso é possível de acontecer.

Contudo, você não veio à Terra para fixar deficiências, mas para tratá-las, cultivando a saúde.

Você não se acha no mundo para submeter-se aos impulsos irracionais, mas para fazê-los amadurecer para os campos da razão lúcida.

Você não nasceu para se deixar levar pelo destempero, pela irritação que desarticula o equilíbrio, mas tem o dever de educar-se, porque tem na pauta da sua vida o compromisso de cooperar com Deus, à medida que cresça, que amadureça, que se enobreça.

Desse modo, os seus aborrecimentos diários, embora sejam admissíveis em almas infantis e destemperadas, já começam a provocar ruídos infelizes, desconcertantes e indesejáveis, nas almas que se encontram no mundo para dar conta de compromissos abençoados com Jesus Cristo e com Seus prepostos.

Assim, observe-se. Conheça-se no aprendizado do bem, um pouco mais. Esforce-se por melhorar-se.

Resista um pouco mais aos impulsos da fera que ainda ronda as suas experiências íntimas.

Aproxime-se um pouco mais dos Benfeitores Espirituais que o amparam.

Perante as perturbações alheias, aprenda a analisar e não repetir.

Diante da rebeldia de alguém, analise e retire a lição para que não faça o mesmo.

Notando a explosão violenta de alguém, reflita nas consequências danosas, a fim de não fazer o mesmo.

Cada esforço que você fizer por melhorar-se, por educar-se, será secundado pela ajuda de luminosos Imortais que estão, em todo tempo, investindo no seu progresso, para que, pouco a pouco, mas sempre, você cresça e se ilumine, fazendo-se vitorioso cooperador com Deus, tendo superado a si mesmo, transformando suas noites morais em radiosas manhãs de perene formosura.

*    *    *

Quando você for visitado por uma causa de sofrimento ou de contrariedade, sobreponha-se a ela.

E, quando houver conseguido dominar os ímpetos da impaciência, da cólera, ou do desespero, diga, de si para consigo, cheio de justa satisfação: Fui o mais forte.




Redação do Momento Espírita com base no cap. 13 do livro Para uso diário, pelo Espírito Joanes, psicografia de Raul Teixeira, ed. Fráter.
Em 06.12.2010.

 
Gif My Melody
Um feliz e abençoado dia!!!

quinta-feira, 25 de junho de 2015

"A vida na Terra é repleta de percalços. Ninguém passa a existência sem enfrentar desafios. Os obstáculos destinam-se a fortalecer o homem, a testar a firmeza de seu caráter e a torná-lo melhor. Nessa linha, problemas não são desgraças, mas lições. A criatura deve mobilizar suas forças íntimas para superar as dificuldades com que se defronta. A ninguém é lícito assumir atitude derrotista, desistindo previamente da luta. Como o homem foi contemplado com o dom da inteligência, deve utilizá-lo para viver cada vez melhor. Esse viver melhor não se refere a aspectos materiais. A plenitude do viver constitui um conceito amplo, que engloba a consciência tranqüila pelo dever bem cumprido. Assim, é importante cada qual analisar sua própria vida. Identificar suas dificuldades, materiais e morais, e assumir a responsabilidade por elas. O homem necessita amadurecer para não atribuir a terceiros o ônus de resolver os seus problemas. Demonstra infantilidade quem pretende que os outros sejam a causa de sua infelicidade. É preciso cessar de culpar o governo, os pais, o chefe, os vizinhos ou a quem quer que seja. Cada qual recebe da vida exatamente a tarefa necessária ao seu crescimento. Como os homens são diferentes, os problemas que enfrentam também o são. Na jornada pela eternidade, cada espírito tem o que trabalhar em si. Um necessita fortificar sua vontade na luta constante com dificuldades materiais. Outro precisa desenvolver a paciência, perante familiares de difícil trato. Um terceiro é carente de sensibilidade e vive às voltas com dores e enfermidades. Há ainda quem deve resistir à tentação do orgulho e da vaidade e nasce em meio a riquezas. A vida na Terra é uma escola. Cada homem está às voltas com a sua lição. Seu papel é mostrar-se digno e vigoroso em sua luta, e auxiliar o próximo, pois todos são companheiros na jornada evolutiva. Não ceda à tentação de responsabilizar os outros pelo que lhe acontece. Não imagine que alguém tem o dever de resgatá-lo de suas dificuldades. Certamente a solidariedade é uma lei da vida. Contudo, também a responsabilidade pelo próprio viver constitui uma regra a ser observada. Seja vigoroso e determinado. Trabalhe, estude, seja valente. Cesse as lamentações e mobilize suas forças para atingir suas metas. Não espere que ninguém faça sua tarefa. Identifique e dome suas más inclinações. Visualize a pessoa que você quer ser e faça o que estiver ao seu alcance para se tornar assim. Mas preserve sua dignidade, pois de nada adianta uma falsa vitória. Mais importante do que resultados materiais é a conquista e a preservação da nobreza de seu caráter. Certas dificuldades são inevitáveis, mas você decide como se comportar perante elas. Em qualquer circunstância, mire-se nos exemplos do Cristo. O mestre não desdenhou o trabalho duro, as viagens constantes com o sol a pino. Conviveu com a ignorância e a beligerância, disciplinou almas rudes. Enfrentou a dor e a morte, mas a tudo venceu. Corajoso e amoroso, Jesus fez o convite. Quem desejar, deve tomar sua cruz e segui-Lo. A cruz representa as dificuldades que todo homem deve superar, preservando sua fidelidade a Deus." (Redação do Momento Espírita)

 
Gif Baby Woppies
Terceirizando responsabilidades
 

Um artigo publicado no jornal nos chamou a atenção, pelo tema enfocado. Tratava das desculpas que sempre damos para justificar a nossa infelicidade.

O articulista dizia que um amigo seu, depois de mais de uma década de casamento infeliz, separou-se e, após temporária euforia, caiu em profunda tristeza.

Curioso, perguntou-lhe: "qual a razão para tanto sofrimento?".

E seu amigo respondeu: "aquela maldita está me fazendo uma grande falta, pois agora já não tenho a quem culpar pela minha infelicidade".

O curioso é que muitas vezes nós também agimos de maneira semelhante, pois sempre estamos à procura de alguém a quem responsabilizar pela nossa infelicidade.

E isso é resultado do atavismo que trazemos embutido na nossa forma de pensar e agir.

Quando somos jovens ouvimos nossos pais e amigos dizerem que um dia encontraremos alguém que nos faça feliz.

Então acreditamos que esse alguém tem a missão de nos trazer a felicidade. E passamos a aguardar que chegue logo para fazer o milagre.

Mas, antes disso, quando ainda somos criança, nossos pais acham sempre algo ou alguém a quem culpar pelo nosso sofrimento.

Se nos descuidamos e tropeçamos numa pedra, a culpa foi da pedra, que não saiu da nossa frente.

Se brigamos com o amiguinho, foi ele que nos provocou. Se tiramos nota baixa na escola, a culpa é do professor que não soube nos ensinar.

E é assim que vamos terceirizando nossos problemas e nossa felicidade. E, por conseguinte, as responsabilidades e as soluções.

Se sinto ciúmes, é porque a pessoa com quem me relaciono não permite que eu dirija a sua vida. Embora devesse admitir que é porque não sinto confiança em mim.

Se a inveja me consome, a culpa é de quem se sobressai, de quem estuda mais do que eu, de quem avança e não me dá satisfação dos seus atos.

Se alguém do meu relacionamento tem mais amizades e recebe mais afeto do que eu, fico inventando fofocas para destruir as relações, em vez de conquistar, com sinceridade e dedicação, o afeto que desejo.

Se uma amiga, ou amigo, faz regime e emagrece, e eu não consigo, fico infeliz por isso.

Se tenho problemas de saúde e não melhoro, a culpa é do médico, afinal eu o pago para me curar e ele não cumpre o seu dever..., ainda que eu não siga as suas orientações.

Se não consigo um bom emprego é porque ninguém me valoriza, e às vezes esqueço de que há muito tempo não invisto na melhoria de minha qualidade profissional.

Pensando assim, nós nos colocamos na posição de vítimas, julgando que só não somos felizes por causa dos outros. Afinal, ninguém sabe nos fazer feliz...

Importante pensar com maturidade a esse respeito, pois somente admitindo que somos senhores da nossa vida e do nosso destino, deixaremos de encontrar desculpas, e faremos a nossa parte.

Se seus relacionamentos estão enfermos, analise o que você tem oferecido aos outros. De que maneira os tem tratado. Que atenção tem lhes dado.

Considere sempre que você pode ser o problema. Analise-se. Observe-se. Ouça a sua voz quando fala com os outros.

Sinta o teor de suas palavras. Preste atenção quando fala de alguém ausente.

Depois dessas observações, pergunte-se, sinceramente, se você tem problemas ou se é o próprio problema.

Não tenha medo da resposta, afinal você não deseja ser feliz?

Então não há outro jeito, a não ser enfrentar a realidade...

A felicidade é construção diária e depende do que consideramos o que seja ser feliz.

Se admitimos que a felicidade é uma forma de viver, basta aprender a arte de bem-viver.

E bem viver é buscar a solução dos problemas, sem terceirização...

É assumir a responsabilidade pelos próprios atos.

É admitir que a única pessoa capaz de lhe fazer feliz, está bem perto...

Para vê-la é só chegar em frente ao espelho, e dizer: "muito prazer pessoa capaz de me fazer feliz!"

Pense nisso, e vá em busca de sua real felicidade, sem ilusões e sem medo.


Texto da Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em artigo de Oriovisto Guimarães, intitulado "Os verdadeiros inimigos do Brasil", publicado no jornal Gazeta do Povo, no dia 03/12/2005.
Gif Baby Woppies
Boa tarde!



terça-feira, 23 de junho de 2015

"O homem encarnado saberá, mais tarde, que a conversação amiga, o gesto afetuoso, a bondade recíproca, a confiança mútua, a luz da compreensão, o interesse fraternal – patrimônios que se derivam naturalmente do amor profundo - constituem sólidos alimentos para a vida em si." (André Luiz)

Gif Baby Woppies
Goste das pessoas


Kent não era mais do que um adolescente quando aprendeu, com seu amigo da mesma idade, uma das lições que mais lhe encheram de prazer a vida.

Ambos estavam estudando e, da janela, observaram um dos professores atravessando o estacionamento.

Kent explicou a Craig que não gostaria de reencontrar aquele instrutor. No semestre anterior, ele e o professor tinham se desentendido.

O cara não gosta de mim - finalizou.

Craig observou o professor e falou:

Talvez você esteja se afastando porque tenha medo de ser rejeitado. E ele provavelmente acha que você não gosta dele, por isso não é simpático com você. Por que não vai falar com ele?

Hesitante, Kent desceu as escadas, cumprimentou o professor e perguntou como tinha sido seu período de férias.

Ele se mostrou surpreso, mas respondeu. Juntos caminharam um pouco e conversaram.

O amigo tinha lhe ensinado algo simples. As pessoas gostam de quem gosta delas. Quando se mostra interesse por elas, elas se interessam por nós.

A partir daquele dia, o mundo se transformou para Kent numa grande descoberta.

Certa vez, viajando de trem pelo Canadá, ele começou a conversar com um homem que todos evitavam, porque cambaleava e enrolava a língua, ao falar. Todos pensavam que ele estivesse bêbado. Em verdade, ele estava se recuperando de um derrame.

Tinha sido engenheiro naquela mesma linha férrea e passou a viagem contando histórias fascinantes passadas naquela ferrovia.

Quando o trem foi se aproximando da estação, ele segurou a mão de Kent e agradeceu por ele ter ouvido, com tanta atenção.

Mas Kent sabia que o prazer tinha sido muito maior para ele próprio.

Em um outro momento, em uma esquina barulhenta, numa cidade da Califórnia, uma família o parou pedindo informações. Eram turistas da isolada costa norte da Austrália.

Em pouco tempo, tomando café, eles encheram de conhecimento a sua cabecinha, com histórias sobre lugares e costumes que possivelmente ele nunca teria conhecido.

Cada encontro se tornou uma aventura. Cada pessoa, uma lição de vida. Ricos, pobres, poderosos e solitários: ele percebeu que todos tinham tantos sonhos e dúvidas quanto ele mesmo.

Todos tinham uma história única para contar. Bastava alguém querer ouvir.

Uma jovem esteticista lhe confidenciou a alegria que tinha sentido ao ver os moradores de um asilo, sorrindo, depois que ela cortou e penteou seus cabelos.

Um guarda de trânsito revelou como tinha aprendido alguns dos seus gestos, observando toureiros e maestros.

Até mesmo um andarilho, com a barba por fazer, lhe contou como tinha conseguido alimentar sua família durante o período da depressão, nos Estados Unidos, recolhendo peixes atordoados que flutuavam na superfície, depois de explosões na água.

Em suma, todas as pessoas tinham histórias para contar. Histórias ricas de experiências. E todas sonhavam com alguém que as quisesse ouvir.

Pensamento

Parafraseando Francisco de Assis, poderíamos pensar em uma oração, mais ou menos assim:

Senhor, permita que eu procure muito mais ouvir do que ser ouvido; muito mais ver do que desejar ser visto.

Finalmente: que eu aprenda a gostar das pessoas primeiro, e faça as perguntas depois, para que eu possa descobrir, com alegria, que a luz que projeto nos outros, se reflete em mim mesmo, multiplicada por cem.


Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no cap. Goste das pessoas primeiro, do livro Histórias para aquecer o coração dos adolescentes, de Jack Canfield, Mark Victor Hansen, Kimberly Kirberger, ed. Sextante.
Gif Baby Woppies
Boa noite de São João!!!



segunda-feira, 22 de junho de 2015

"Pelos caminhos da vida, um amigo invisível nos acompanha: nosso anjo guardião. Designado por Deus para acompanhar nossos passos na longa jornada pela Terra, esse Espírito nos aconselha, auxilia e pacifica nos momentos de crise. Também em nossas vitórias, quando sorrimos felizes, ao nosso lado está o divino emissário, em silenciosa prece de gratidão a Deus. Devemos pensar nele como um irmão mais velho, um companheiro que nos dedica a amizade mais pura e desinteressada. Estar em contato com esse bom companheiro é essencial. E podemos fazê-lo pela prece, em momentos de meditação. Para escutá-lo, é preciso silenciar a mente, acalmar o tumulto interior. Afinal, quem consegue ouvir algo quando tudo em volta é ruído? Assim, com a mente calma, ouviremos a voz do anjo amigo. Não será uma voz física, mas a voz interna, que ressoa apenas na alma. Os conselhos desse amigo celeste se farão ouvir pela intuição. É que Deus não quer que o anjo guardião faça o nosso trabalho maior, que é nos tornarmos pessoas melhores. A nossa tarefa de auto-aprimoramento é individual, intransferível. A figura do anjo guardião é um recurso que Deus utiliza para nos dar apoio. Mas a tarefa é nossa. E isso acontece para que cada um de nós tenha o mérito pelas boas obras e atitudes que pratica. É o nosso livre arbítrio, nossa liberdade de escolher o bem, o belo e o amor. Deus deseja a nossa felicidade. Ele nos dotou de força de vontade, inteligência e sensibilidade para que todos nós possamos progredir intelectual e moralmente. Se outra pessoa tomasse decisões por nós, qual seria o nosso mérito? Dessa forma, também não aprenderíamos as lições que a vida oferece. O fogo da experiência nos engrandece: traz maturidade, compreensão, paciência. Na imensa escola que é o Mundo, somos estudantes que têm deveres a cumprir, conteúdos a aprender. Nesta escola, há outros mais adiantados, que ajudam os que estão iniciando. Esses são os anjos guardiães ou Espíritos protetores. Eles não nos substituem, nem tomam as rédeas de nossa vida. Eles sugerem, aconselham, consolam. E como fazem isso? Quando falamos com eles? Fazem isso por sugestão mental e pela intuição. Também nos aconselham quando estamos dormindo. Sim, nessa hora em que estamos libertos do corpo, entramos em contato com o mundo espiritual. E nele vive nosso anjo guardião. Por isso os Espíritos protetores são sempre mais adiantados. É que precisamos de sua sabedoria para nos orientar. São sábios, pois somente um sábio poderia respeitar o livre arbítrio quando seu protegido faz enormes tolices e sofre por causa delas. É esse Espírito protetor que nos ouve nas horas calmas, quando aparentemente falamos para as paredes; quando lamentamos as oportunidades perdidas; quando admitimos a nossa imperfeição. Há coisas que falamos apenas para nós mesmos. Mas Deus as ouve. E determina ao Espírito amigo que também as escute. Nessas horas, quando a solidão nos alcança, a tristeza desaba sobre nossas cabeças e o desânimo se faz presente, o anjo de guarda nos abraça. Enlaça a nossa alma cansada, embala o nosso sono. Suas lágrimas regam nossa estrada, seus sorrisos iluminam nossos dias. Porque a missão dessa alma generosa é seguir conosco e nos amar." (Redação do Momento Espírita)

Gif
Nosso guarda-chuva
 

Todos sempre estamos sob a proteção de uma entidade Superior, tradicionalmente conhecida como sendo nosso anjo da guarda.

Não é imprescindível que esse Espírito abençoado pela evolução esteja todo o tempo ao nosso lado, mas sempre que se faz necessário, ele se apresenta para nos auxiliar.

Ocorre que, na maioria das vezes, não sintonizamos com ele.

É como o sol que nos abençoa constantemente com sua presença e, mesmo assim, um grande número de pessoas evita receber os raios benéficos que tanto ajudam a fixação das vitaminas e o desenvolvimento dos ossos.

Mesmo quando nos afastamos do bem ou do código de ética moral que vige em todo o Universo, o bom Espírito nunca nos abandona. Nós é que o deixamos de lado.

Como excelente mestre, ele segue nos auxiliando, mas deixa que realizemos as tarefas para que o mérito seja nosso.

Se a sua assistência fosse mais ostensiva, nos prejudicaria o livre-arbítrio e deixaríamos de desenvolver as próprias aptidões.

Como bom educador, ele sabe que chegará o momento de nosso amadurecimento psicológico.

As nações e as cidades também possuem seus protetores espirituais.

Jesus é o guia espiritual do planeta terrestre. Por isso mesmo, se apresentou como o Bom Pastor, o responsável por esse imenso rebanho. Aquele que dá a vida por Suas ovelhas.

O Espírito Emmanuel, através do médium Francisco Cândido Xavier, nos apresenta uma imagem curiosa. Ele compara o Espírito protetor com um guarda-chuva.

Se, em determinada situação, deixarmos de lado essa proteção, o guarda-chuva não sairá correndo atrás de nós.

Seguiremos nossa vida, iremos adquirir experiências e, em algum momento, voltaremos a buscar o acolhimento daquela proteção que sempre esteve pronta a nos atender.

Importante que procuremos não fazer pedidos impróprios aos protetores, no sentido de certas conquistas, sem que façamos a nossa parte.

Melhor será proceder bem, trabalhar e assim obter o merecimento das leis soberanas da vida.

Através do trabalho digno, da consciência tranquila e do caráter reto alcançaremos a verdadeira felicidade.

Para que possamos estabelecer uma comunicação com o anjo protetor e com os guias espirituais, é preciso que façamos uma viagem interior, que procuremos silenciar nossa mente.

No momento em que a mente aquietar, busquemos a oração.

Para isso, não se fazem necessárias fórmulas. Orar é abrir a alma a Deus e falar-lhe, na condição de um filho que necessita da proteção de seu pai.

Dessa forma, iremos nos proporcionar um estado de paz íntima e de equilíbrio emocional.

E será quando se estabelecer esse silêncio interior que a orientação ou inspiração chegará à mente.

Perceberemos em nossa alma a voz desse amigo.

*     *     *

Para nos beneficiarmos das orientações que nos guiam para a trilha do bem, nos permitamos o contato com nosso anjo protetor, sempre à nossa disposição. Basta que façamos a sintonia.

E não nos esqueçamos de agradecer a Deus, Pai bondoso que nos permite ter ao lado esse guardião que sempre nos protege e vela por nossa caminhada.




Redação do Momento Espírita, com base em entrevista de Divaldo Pereira Franco, no Programa televisivo Transição.
Em 15.6.2013.

Gif
Feliz e abençoado dia!!!


domingo, 21 de junho de 2015

"Em você existem as causas da sua derrota e vibram as forças de seu triunfo.” (André Luiz)


 
Gif de chuva
Sorrindo na tempestade
 

Aquela menininha diariamente fazia o caminho para a escola sozinha e a pé.

Naquela manhã, apesar do mau tempo, do vento forte e das nuvens ameaçadoras, ela seguiu em direção à escola.

Ao longo do dia, o vento foi aumentando. Formou-se uma tempestade com muitos raios e trovões.

A mãe pensou que sua filha poderia sentir medo de voltar sozinha em meio ao temporal. Afinal, ela mesma estava bastante assustada.

Preocupada, ela entrou em seu carro e dirigiu, em meio à tempestade, para apanhar a filha na escola.

Não demorou muito, e ela avistou a sua filha andando pela estrada.

Chamou-lhe a atenção, no entanto, o fato de que, a cada relâmpago, a criança parava, olhava para cima e sorria.

Outro e outro relâmpago. E ela sempre parava, olhava para cima e sorria.

Finalmente, a menina entrou no carro. A mãe, curiosa, foi logo perguntando: Filha, o que você estava fazendo?

E a garotinha, alegre e despreocupada, respondeu: Eu estava sorrindo. Deus não para de tirar fotos minhas!
 
*    *    *

A inocência da infância. A lição da simplicidade de descobrir beleza em todas as coisas.

De confiar em quem é o Criador de todo o imenso Universo e Pai amoroso e bom, que está atento a tudo.

Pudéssemos nos recordar, em nossa vida, dos momentos mágicos da infância e nossa vida seria menos complicada.

Quando os temporais das adversidades nos chegassem, lembraríamos de que Deus tudo sabe e vela por nós.

Quando os ventos das inquietudes nos balançassem, recordaríamos de que nada de mal nos deverá ocorrer, que não seja do conhecimento de Deus.

E se Ele sabe, tudo está certo. Não haveremos de sofrer além do que esteja dentro das nossas necessidades.

Quando os relâmpagos das calúnias e das inverdades riscassem os céus dos nossos atos, teríamos em mente que não importa o que os homens digam. Deus sabe a verdade.

E nos preocuparíamos menos em nos defender e mais em prosseguir agindo de forma correta e digna.

Quando a chuva inclemente do abandono nos fustigasse a alma, teríamos em mente que não estamos sós.

Deus segue conosco. E estabeleceríamos a ponte da comunicação entre Ele e nós, através da prece sincera e devotada, prosseguindo sempre.

Quando o frio da indiferença de amigos antes devotados nos enregelasse, provocando-nos lágrimas de dor, nos lembraríamos de que Deus nos ama.

E tornaríamos a pedir que Ele permanecesse conosco, a fim de que a noite da solidão não nos perturbe, nem amedronte.

Enfim, se os verdes anos da infância falassem em nossa vida, seguiríamos pelas veredas do mundo mais tranquilos.

Porque sempre teríamos em mente que o bem é superior ao mal, que é transitório e fugaz.

Que Deus é todo poder, bondade e sabedoria e tudo o que Ele faz traduz essas virtudes em grau infinito.

Finalmente, seguiríamos pela estrada confiantes de que nada escapa ao olhar profundo da Divindade.

 
*    *    *

Deus existe. É infinitamente justo e bom: essa a Sua essência.

A tudo se estende a Sua solicitude. Só o nosso bem, portanto, pode Ele querer.

Disso se conclui que devemos confiar Nele: é o essencial. Assim, em meio à tempestade, olhemos para o alto e utilizemos nosso sorriso, avançando sempre, vencendo os percalços.




Redação do Momento Espírita, com base no texto Inocência, de autor desconhecido, disponível no site flori_jane.sites.uol.com.br/index.htm e no cap. 2, item 30 de A gênese, de Allan Kardec, ed. Feb.


 
Gif chuva
Uma boa noite e
um feliz começo de semana!
 
 
 
 
 

sexta-feira, 19 de junho de 2015

"Numa palavra, qualquer que seja o caráter de uma reunião, haverá sempre Espíritos dispostos a secundar as tendências dos que a componham". O LIVRO DOS MÉDIUNS 2ª parte, Capítulo 29º - Item 327. ..."Na abençoada Obra de Nosso Pai tudo são trocas. Receberás sempre consoante requereres. Desvairado, se te atiras ao coração querido, ferindo-lhe a sensibilidade, obterás somente reprimenda nascida no desgosto. Inquieto, se buscas paz, afligindo os que te cercam no lar, recolherás azedume e animosidade. Combalido, se procuras repouso, exigindo acomodação dos outros, receberás apenas repulsa e antagonismo. Isto porque, a resposta procede dos termos da petição, de acordo com o merecimento da apresentação. Não esqueças, entretanto, que o coração magoado é constrangido à aflição, os familiares atormentados escondem-se no desencanto e os outros, atacados por exigências, reagem, naturalmente. Respeita a mão distendida ao alcance da tua mão e recebe-lhe a oferenda. Nem ameaces o equilíbrio de quem se inclina a auxiliar-te. Nem avances exigente para quem estugou o passo na caminhada, ao ouvir-te o apelo. Aflição projetada traduz aflição que retornará. Aversão espalhada pressagia antipatia para colheita futura. Se desejas aspirar o aroma do amor, libertando-te das dificuldades pessoais com o auxilio alheio, não expresses confiança sob impropérios nem segurança de fé com chuvas de irritabilidade. Favorece os meios simples para o trabalho eficiente e a obra crescerá em torno da tua planificação. Ajuda para que te ajudem. Ilumina para que te iluminem. Coopera-servindo para que a inteligência ambiciosa não estiole a expressão do coração necessitado. Pergunta-esclarecendo para que a inutilidade não te assinale a vida. Fortalece o digno ideal da produção para que a produtividade te enriqueça. Entende as dificuldades do próximo a fim de que ele te entenda, igualmente, a dificuldade. Em qualquer dificuldade recorda o poder da oração e roga inspiração ao Céu, realizando sempre o melhor para que o melhor se faça em ti e através de ti sem olvidares que todo apelo encontra resposta, consoante o merecimento de quem pede e a forma como pede." (Joanna de Ângelis)


Apenas um lembrete...


Lembre-se que você é um Espírito imortal vivendo breve experiência num corpo físico.

Lembre-se que seu corpo é feito de matéria e, como tal, sofre o desgaste natural como tudo o que é matéria. Mas esse desgaste não atinge o Espírito.

Assim, quando você perceber que a sua pele está enrugando, lembre-se de que esse é um fenômeno que não alcança o Espírito.

Enquanto a sua pele enruga, seu Espírito pode ficar ainda mais radiante e mais iluminado.

Você não pode deter os segundos, nem evitar que se transformem em anos.

Não pode impedir que o seu cabelo caia ou se torne branco, mas isso não deve ser motivo para levar embora a vitalidade da sua alma imortal.

Sua esperança jamais poderá estar atrelada a sua forma física, pois o ser pensante que você é, é o mais importante e sobreviverá por toda a eternidade.

Sua força e sua vitalidade independem da sua idade.

Seu Espírito é o agente capaz de espanar a poeira do tempo.

Lembre-se de que você não é um corpo que tem um Espírito, é um Espírito temporariamente vivendo num corpo físico.

Chegará o dia que você encontrará uma linha de chegada, e perceberá que logo à frente há outra linha de partida...

A vida é feita de idas e vindas... Partidas e chegadas.

Um dia você terá que abandonar esse corpo, mas jamais abandonará a vida...

Cada dia é uma oportunidade de viver, e viver bem.

Se acontecer de cometer um engano, não detenha o passo, siga em frente pois logo adiante encontrará outro desafio...

A vida é feita de desafios... Vencemos a uns, somos vencidos por outros, mas não podemos deter o passo.

E o maior de todos os desafios é vencer a si mesmo, usando a razão para não se deixar dominar por vícios e prazeres excessivos e prejudiciais.

Importante é não perder tempo vivendo de lembranças amargas e fotografias pela metade, amarelas e empoeiradas...

O dia mais importante é o dia de hoje... E hoje você tem a oportunidade de reescrever a sua história... Conhecer novas paisagens... Colecionar imagens de cores vivas.

Lembre-se sempre que você é um Espírito feito de luz, e a luz sempre pode suplantar as trevas... Por mais densas que sejam.

O importante é que jamais detenha o passo...

Se as forças físicas não lhe permitem mais correr como antes, ande depressa.

Se algo lhe impedir de andar depressa, caminhe lentamente, mas siga em frente.

E se, por algum motivo, não puder mais caminhar sem apoio, use bengalas, muletas, cadeira de rodas. Mas vá em frente...

E se, um dia, você não puder mais movimentar seu corpo para continuar andando, voe com o pensamento.

Seu pensamento nada e ninguém poderá deter.

Você é livre para pensar, para aprender, para alcançar os céus em busca de esperança e paz.

O essencial é que você não pare nunca...

Deus não criou você para a derrota. Deus criou você para a vitória, para a felicidade plena. E essa conquista é a parte que lhe cabe.

Este é apenas um lembrete, pois, um dia, um Sublime Alguém já nos disse tudo isso e nós esquecemos.

Esquecemos que Ele saiu do corpo, mas jamais saiu da vida...

O Seu suave convite ainda paira no ar: Quem quiser vir após Mim, tome a sua cruz, negue-se a si mesmo, e siga-Me.

Esquecemos que Ele afirmou com convicção e firmeza: Nenhuma das ovelhas que o Pai Me confiou se perderá.

Eu sou uma de Suas ovelhas e você também é. Não importa a que religião você pertença. Não importa a que religião eu pertença.

Somos as ovelhas que o Criador confiou ao Sublime Pastor da Galiléia, para que Ele nos ensine o caminho que nos conduzirá à felicidade plena.

*     *     *

Este é apenas um lembrete... Que você pode até desconsiderar...

Mas uma coisa é certa: você não deixará de existir, como Espírito imortal que é, e não evitará os percalços e as lições da caminhada, porque você, você é filho da Inteligência Suprema do Universo...

Pense nisso!
 
 
Redação do Momento Espírita. Disponível no CD Momento Espírita, v. 11, ed. Fep
 

Gif Mashimaro
Um Feliz e abençoado dia!!!
Fim de semana iluminado!!!


quinta-feira, 18 de junho de 2015

"O homem é assim o árbitro constante de sua própria sorte. Ele pode aliviar o seu suplício ou prolongá-lo indefinidamente. Sua felicidade ou sua desgraça dependem da sua vontade de fazer o bem." (Allan Kardec) ...."Cada dia que amanhece assemelha-se a uma página em branco, na qual gravamos os nossos pensamentos, ações e atitudes. Na essência, cada dia é a preparação de nosso próprio amanhã." (Chico Xavier)

 
Gif de coelho
O sentido da vida
 

Você já reparou como é difícil, algumas vezes, ter respostas para algumas dúvidas do dia a dia? Ter respostas para essas perguntas que nos surgem quando estamos na fila do supermercado, ou escovando os dentes ou parados no sinaleiro, dentro da condução?

Você já não teve dessas perguntas que, um dia, sem pedir licença, entram em nossa mente e ficam rodando, rodando, até que desistimos delas, ou as guardamos no fundo, bem no fundo do baú de nossa mente?

Quem de nós já não se perguntou por que nascemos em situações tão diferentes? E quanto às nossas capacidades, será que Deus nos criou assim tão diferentes uns dos outros?

E por que Ele permite haver uns na Terra com tanto e outros com tão pouco? Ou ainda, por que pessoas boas sofrem, passam por provas, por dificuldades, dores?

Se Deus é soberanamente bom e justo, se Deus é, na profunda síntese do Evangelista, amor, qual a razão disso tudo? Qual o sentido de todas essas coisas, aparentemente tão incoerentes?

Na verdade, quando essas perguntas nos surgem, é nossa intimidade buscando respostas para o sentido da vida. São perguntas que a Filosofia vem se fazendo desde há muito, e que refletem o anseio que cada um de nós traz na intimidade: Afinal, qual o sentido da vida? Por que estamos aqui?

Deus, ao nos matricular na escola da vida, deseja de nós que o aprendizado aconteça. Como todo pai ao matricular seu filho na escola, Ele espera que aprendamos a lição.

Nos bancos escolares, nos matriculamos para aprender a escrever, a manipular os números, a entender um pouco as leis da Física, da Química e de tantas outras ciências. E na escola da vida, o que temos que aprender?

Jesus, no Seu profundo entendimento das Leis de Deus, foi firme ao nos ensinar que o maior mandamento da Lei do Pai é o do amor.

Assim, podemos entender que, quando matriculados na escola da vida, na escola que Deus nos oferece, Ele espera de nós essa única lição: aprender a amar.

Dessa forma, todas as oportunidades que a vida nos oferece, são oportunidades para aprendermos a amar. Seja na situação financeira difícil, ou no físico comprometido, estão aí, para nós, as melhores lições para amar.

A doença que nos surge, de maneira inesperada, é o convite à resignação e fé. O chefe difícil, intempestuoso, nos convida à compreensão.

O filho exigente é a oportunidade da paciência e do desvelo. O marido tirano, a esposa intransigente são os portadores do convite à humildade e compreensão.

A cada esquina, o que a vida nos oferece, seja da forma como ela nos oferece, sempre traz consigo oportunidade bendita do aprender a amar. Você já reparou nisso?

E o aprender a amar se faz no exercício diário desse sentimento, desdobrado nos inúmeros matizes que ele guarda em si, nas mais variadas virtudes que ele permite ser vivido.

Seja onde a vida nos colocar: no corpo doente, no lar carente, na família difícil, ali estará nossa melhor lição para amar.

Tenha sempre em mente que o maior sentido da vida é conseguir perceber e entender que ela guarda, em cada oportunidade, em cada desafio que nos oferece, bendita lição para aprender a conjugar o verbo amar.


Redação do Momento Espírita.
Gif de coelho
Tarde abençoada e feliz!!!

segunda-feira, 15 de junho de 2015

"Não há no mundo quem não deseje uma vida de felicidades. Sonhamos e desejamos que nossos dias sejam de alegrias intensas e plenas. Anelamos que o sorriso nos venha fácil, que os dias nos sejam leves e que seja de venturas o nosso caminhar. É natural que assim seja. Somos seres fadados à felicidade e esse é o sentimento que encontra na alma os mais profundos significados. Porém, na ânsia da felicidade, imaginamos que temos que buscá-la em algum ponto, que a encontraremos em algum momento, que a atingiremos em um dia determinado. Lembramos o soneto do poeta Vicente de Carvalho que afirma que a felicidade é uma árvore de dourados pomos, porém que não a alcançamos, porque sempre está onde a pomos e nunca a pomos onde nós estamos. Ao imaginar a felicidade como uma meta a alcançar nos esquecemos que, na verdade, a felicidade é caminho a se traçar, é trilha a se percorrer, é história a se construir. Quando imaginamos que a felicidade chegará um dia, perdemo-nos nos dias e não enxergamos a felicidade que nos chega. Ou não será felicidade poder deparar-se com um pôr-de-sol tingindo de vermelho um céu que há pouco era de um azul profundo? Há tantos que desejariam ver um pôr-de-sol… Quanta felicidade pode haver em escutar as primeiras palavras de um filho, uma declaração de amor de quem queremos bem, ou ainda, o assovio do vento chacoalhando suave as folhas da árvore? Há tantos que nada escutam, nem ouvem ou percebem… Como somos felizes por poder pensar, criar, sonhar e, num piscar de olhos, viajar no mundo e no espaço, conduzidos pela imaginação, guiados pela mente! São tantos que permanecem carcereiros de si mesmos em suas distonias mentais, nos desequilíbrios emocionais… Preocupamo-nos tanto em buscar a felicidade, que nos esquecemos que já temos motivos de sobra para sermos felizes. E, efetivamente, não nos damos conta que a felicidade não está em chegar, mas que ela mora no próprio caminhar. Ser feliz é ter o olhar de gratidão perante a vida, de entendimento do seu propósito, da percepção de que ela se mostra sempre generosa a cada um de nós. Ser feliz não é negar que na vida também haverá embates, lutas e desafios cotidianos. Afinal, esses são componentes de nosso viver e, naturalmente, podem trazer dificuldades e dissabores. Porém, ser feliz é também perceber que os embates produzem amadurecimento, que as lutas nos fazem mais fortes e nos oferecem aprendizado. Assim, de forma alguma vale a pena ficarmos esperando o dia em que nossa felicidade se completará. Ser feliz é compromisso para hoje, que se inicia pelo olhar para as coisas do mundo, passa pelo coração em forma de reconhecimento pelos presentes que nos chegam, completa-se em gratidão, oferecendo à vida o que ela nos dá em abundância." (Redação do Momento Espírita)


Gif Pucca e Garu
Construtores da vida
 

Por mais que gostemos da vida no corpo físico, um dia, todos morreremos, isto é fato.

Morrem os pobres e morrem também os ricos.

Foi assim que um dia aquele homem, que detinha poder e muitas posses, foi habitar o além.

Foi recebido pelo benfeitor, encarregado de conduzi-lo à sua nova residência.

Caminhavam calmamente por um lugar pitoresco, com ruas calmas, um gramado extenso e grande variedade de árvores e jardins.

Ao passarem por uma das casas, o benfeitor mostrou-a ao homem e lhe disse: "observe! Aquela é a casa de sua cozinheira."

"Mas ela ainda não morreu", respondeu o homem.

Sem dar nenhuma resposta, andaram por mais algum tempo e o orientador mostrou outra casinha graciosa e disse: "essa é a casa do seu jardineiro."

Ambas eram casas muito agradáveis. Simples, mas aconchegantes. Jardins com flores silvestres e pássaros voejando e cantando por entre as borboletas que pousavam de flor em flor.

Discretos regatos com águas cantantes e cristalinas cortavam os gramados verdes.

O homem estava muito animado, pois se seus empregados teriam moradias tão agradáveis, o que não estaria reservado a ele, um homem rico e poderoso?

Caminharam por mais algum tempo, quando o benfeitor parou diante de um barraco, localizado numa área menos clara e quase sem nenhum encanto.

Com um gesto gentil indicou ao homem sua nova residência.

O homem teve um sobressalto.

Indignado perguntou ao orientador: "como posso eu, um homem rico e possuidor de muitos bens, morar agora nesse barraco caindo aos pedaços? Sem dúvida deve ser uma brincadeira!"

"Infelizmente não é, meu filho", falou amavelmente o benfeitor.

E acrescentou: "todas as construções são feitas com os materiais que vocês nos enviam diariamente enquanto estão na Terra. São materiais invisíveis aos olhos físicos, mas firmes o bastante para construir um recanto sólido aqui, no mundo espiritual. Cada gesto nobre, cada boa ação, cada trabalho realizado com honestidade e desinteresse, são matérias primas importantes aplicadas nos tesouros verdadeiros deste lado da vida."

"Mas como saber disso, se ninguém me avisou enquanto estava na Terra?", objetou o infortunado.

"Ora, meu filho, talvez você tenha esquecido, mas há mais de dois milênios se ouve falar de um Homem chamado Jesus, que orientou muito bem sobre essa questão, recomendando que se construíssem tesouros no céu, onde nem a traça come nem os ladrões roubam."

Pensativo e sem argumentos, o homem adentrou seu mísero barraco, em busca de um mínimo de conforto para sua alma inquieta.

Pense nisso!

Nossos maiores tesouros são as virtudes.

A compaixão, a fraternidade, a solidariedade, a ternura, o afeto, são elementos importantes na construção da beleza e da harmonia.

A honestidade, a dignidade, a humildade, a indulgência e a justiça, são virtudes essenciais para construções sólidas e indestrutíveis.

Assim sendo, vale a pena investir nesses tesouros desde hoje, pois a imortalidade não é uma proposta para ser pensada depois da morte, é uma realidade para ser vivida hoje.

Pense nisso, mas pense agora!

 
Texto da equipe de redação do Momento Espírita.

 
Gif Pucca e Garu
Um feliz e abençoado dia!!!

domingo, 14 de junho de 2015

"E se alguém cuida saber alguma coisa, ainda não sabe como convém saber." - Paulo. (I CORÍNTIOS, 8:2.) ..."A civilização sempre cuida saber excessivamente, mas, em tempo algum, soube como convém saber. É por isto que, ainda agora, o avião bombardeia, o rádio transmite a mentira e a morte, e o combustível alimenta maquinaria de agressão. Assim também, na esfera individual, o homem apenas cogita saber, esquecendo que é indispensável saber como convém. Em nossas atividades evangélicas, toda a atenção é necessária ao êxito na tarefa que nos foi cometida. Aprendizes do Evangelho existem que pretendem guardar toda a revelação do Céu, para impô-la aos vizinhos; que se presumem de posse da humildade, para tiranizarem os outros; que se declaram pacientes, irritando a quem os ouve; que se afirmam crentes, confundindo a fé alheia; que exibem títulos de benemerência, olvidando comezinhas obrigações domésticas. Esses amigos, principalmente, são daqueles que cuidam saber sem saberem de fato. Os que conhecem espiritualmente as situações ajudam sem ofender, melhoram sem ferir, esclarecem sem perturbar. Sabem como convém saber e aprenderam a ser úteis. Usam o silêncio e a palavra, localizam o bem e o mal, identificam a sombra e a luz e distribuem com todos os dons do Cristo. Informam-se quanto à Fonte da Eterna Sabedoria e ligam-se a ela como lâmpadas perfeitas ao centro da força. Fracassos e triunfos, no plano das formas temporárias, não lhes modificam as energias. Esses sabem porque sabem e utilizam os próprios conhecimentos como convém saber." (Emmanuel)

Gif de flor
Num dia como o de hoje


Num dia como o de hoje, crianças desvalidas morrerão sem sonhos e sem pão... Mas, também, almas generosas poderão ser vistas auxiliando os órfãos a se tornarem menos tristes.

Num dia como o de hoje, mães herdarão os troféus de guerras sangrentas... Porém, em algum lugar, uma outra agradecerá a Deus pelo filhinho que respira.

Num dia como o de hoje, um assassino enlouquecido marcará com sangue a sociedade que o repele e o odeia... Porém, não longe da iniquidade, transbordará a graça de milhares de atos silenciosos de renúncia.

Num dia como o de hoje, um convite à corrupção chegará aos seus ouvidos intranquilos... Mas, um olhar amigo chamará você à reflexão.

Num dia como o de hoje, bactérias resistentes trarão medo e desafios difíceis... Porém, no deserto de desilusão, alguém semeará a confiança.

Num dia como o de hoje, você poderá ouvir centenas de inverdades desesperadoras... Mas, bastará enxergar o céu, o sol, a chuva, o mar e a criança dormindo, para que você perceba as mãos do Altíssimo sobre tudo e sobre todos.

Num dia como o de hoje, almas desequilibradas estimularão sua paciência e sua capacidade de exercer o bom aprendizado... Porém, não desista se a recaída da intempestividade se fizer presente.

Num dia como o de hoje, talvez você pense em desistir de um sonho superior, talvez até escute o convite amargo do pensamento suicida... Mas, por favor, espere até amanhã, não desista assim...

Num dia como o de hoje, todos nós estivemos sujeitos a derrapar no caminho, e quem sabe até derrapamos. Porém, já nos propomos a refletir e a gentilmente ouvir mensagens como esta... Portanto, hoje estamos, sem dúvida, melhores do que ontem.

Num dia como o de hoje, ainda há chances de acrescentar uma estrela luminosa em nossa trajetória na escola da vida...

Num dia como o de hoje, poderemos saltar séculos para a felicidade plena, ou atrasar a caminhada com milênios de arrependimento.

 
*     *     *

São nossas as escolhas.

Escolhemos ver a vida apenas através das lentes do pessimismo, ou escolhemos ver o lado bom de tudo.

São nossas as escolhas.

Escolhemos crescer, aprender, modificar. Ou escolhemos estagnar, conformar, permanecer.

São nossas as escolhas.

Lembremos sempre disso.

 
*    *    *

Toda escolha que você faça pelos caminhos da sua vida terrena, apresentará aos que o cercam e acompanham o grau da sua maturidade, o nível dos seus ideais, a qualidade de tudo quanto o sensibiliza.

Será consequente que os seus irmãos de jornada passem a conceber imagens suas, caricatas ou não, em função do que você elege para a sua existência.

Sobre o mundo você será sempre o retrato dos seus gostos, dos seus interesses, das suas ações.

Cada gesto seu conduzirá um retrato do que você é, um recorte dos seus comportamentos.

Bom será que esses gestos demonstrem equilíbrio, bom senso, harmonia, para que alcancem a felicidade após serem vistos e observados por incontáveis criaturas.

 

Redação do Momento Espírita, com base em texto de autor desconhecido e no cap. 16, do livro Para uso diário, pelo Espírito Joanes, psicografia de José Raul Teixeira, ed. Fráter.
Em 14.5.2015.


Gif de flor
Ótima noite e
feliz começo de semana!


quinta-feira, 11 de junho de 2015

"Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você pegar o primeiro desenho que fiz e prendê-lo na geladeira, e, imediatamente, tive vontade de fazer outros para você. Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você dando comida a um gato de rua, e aprendi que é legal tratar bem os animais. Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você fazer meu bolo favorito e aprendi que as coisas pequenas podem ser as mais especiais na nossa vida. Quando você pensava que eu não estava olhando, ouvi você fazendo uma oração, e aprendi que existe um Deus com quem eu posso sempre falar e em quem eu posso sempre confiar. Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você fazer comida e levar para uma amiga que estava doente, e aprendi que todos nós temos que ajudar a tomar conta uns dos outros. Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você dando seu tempo e seu dinheiro para ajudar as pessoas mais necessitadas e aprendi que aqueles que têm alguma coisa devem ajudar quem nada tem. Quando você pensava que eu não estava olhando, eu percebi você me dando um beijo de boa noite e me senti uma pessoa amada e segura. Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você tomando conta da nossa casa e de todos nós, e aprendi que nós temos que cuidar com carinho daquilo que temos e das pessoas que gostamos. Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi como você cumpria com todas as suas responsabilidades, mesmo quando não estava se sentindo bem, e aprendi que eu tinha que ser responsável quando crescesse. Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você se desculpar com uma amiga, embora tivesse razão, e aprendi que às vezes vale a pena abrir mão de um ponto de vista para preservar a amizade e o bem-estar nos relacionamentos. Quando você pensava que eu não estava olhando eu vi lágrimas nos seus olhos, e aprendi que, às vezes, acontecem coisas que nos machucam, mas que não tem nenhum problema a gente chorar. Quando você pensava que eu não estava olhando, eu percebi você cuidando do vovô com carinho e atenção, e aprendi que devemos tratar bem e respeitar aqueles que nos cuidaram na infância. Quando você pensava que eu não estava olhando, foi que aprendi a maior parte das lições que precisava para ser uma pessoa boa e produtiva quando crescesse. Quando você pensava que eu não estava olhando, eu olhava para você e queria lhe dizer: Obrigado por todas as coisas que eu vi e aprendi quando você pensava que eu não estava olhando! Esta é uma mensagem portadora de grandes motivos de reflexão para todos os educadores que desejam atingir seus nobres objetivos no campo da educação. É uma mensagem importante porque nos faz pensar que nossos educandos estão nos olhando e memorizando mais o que fazemos do que o que dizemos. Nossos gestos e nossas ações produzem lições mais efetivas do que muitas palavras vazias, jogadas ao vento. Pense nisso! E lembre-se sempre: alguém está observando e aprendendo algo com você, em todos os momentos." (Redação do Momento Espírita com base em mensagem de autoria desconhecida.)

 
Cute colors animais
Você pode fazer a diferença


Relata a Sra. Thompson, que no seu primeiro dia de aula parou em frente aos seus alunos da quinta série primária e, como todos os demais professores, lhes disse que gostava de todos por igual.

No entanto, ela sabia que isto era quase impossível, já que na primeira fila estava sentado um pequeno garoto chamado Teddy. A professora havia observado que ele não se dava bem com os colegas de classe e muitas vezes suas roupas estavam sujas e cheiravam mal.

Houve até momentos em que ela sentia prazer em lhe dar notas vermelhas ao corrigir suas provas e trabalhos.

Ao iniciar o ano letivo, era solicitado a cada professor que lesse com atenção a ficha escolar dos alunos, para tomar conhecimento das anotações feitas em cada ano.

A Sra. Thompson deixou a ficha de Teddy por último. Mas quando a leu foi grande a sua surpresa. A professora do primeiro ano escolar de Teddy havia anotado o seguinte: Teddy é um menino brilhante e simpático. Seus trabalhos sempre estão em ordem e muito nítidos. Tem bons modos e é muito agradável estar perto dele.

A professora do segundo ano escreveu: Teddy é um aluno excelente e muito querido por seus colegas, mas tem estado preocupado com sua mãe que está com uma doença grave e desenganada pelos médicos. A vida em seu lar deve estar sendo muito difícil.

Da professora do terceiro ano constava a anotação seguinte: a morte de sua mãe foi um golpe muito duro para Teddy. Ele procura fazer o melhor, mas seu pai não tem nenhum interesse e logo sua vida será prejudicada se ninguém tomar providências para ajudá-lo.

A professora do quarto ano escreveu: Teddy anda muito distraído e não mostra interesse algum pelos estudos. Tem poucos amigos e muitas vezes dorme na sala de aula.

A Sra. Thompson se deu conta do problema e ficou terrivelmente envergonhada. Sentiu-se ainda pior quando lembrou dos presentes de natal que os alunos lhe haviam dado, envoltos em papéis coloridos, exceto o de Teddy, que estava enrolado num papel marrom de supermercado.

Lembra-se de que abriu o pacote com tristeza, enquanto os outros garotos riam ao ver uma pulseira faltando algumas pedras e um vidro de perfume pela metade.

Apesar das piadas ela disse que o presente era precioso e pôs a pulseira no braço e um pouco de perfume sobre a mão. Naquela ocasião Teddy ficou um pouco mais de tempo na escola do que o de costume. Lembrou-se ainda, que Teddy lhe disse que ela estava cheirosa como sua mãe.

Naquele dia, depois que todos se foram, a professora Thompson chorou por longo tempo...

Em seguida, decidiu-se a mudar sua maneira de ensinar e passou a dar mais atenção aos seus alunos, especialmente a Teddy..

Com o passar do tempo ela notou que o garoto só melhorava. E quanto mais ela lhe dava carinho e atenção, mais ele se animava.

Ao finalizar o ano letivo, Teddy saiu como o melhor da classe. Um ano mais tarde a Sra. Thompson recebeu uma notícia em que Teddy lhe dizia que ela era a melhor professora que teve na vida.

Seis anos depois, recebeu outra carta de Teddy contando que havia concluído o segundo grau e que ela continuava sendo a melhor professora que tivera. As notícias se repetiram até que um dia ela recebeu uma carta assinada pelo dr. Theodore Stoddard, seu antigo aluno, mais conhecido como Teddy.

Mas a história não terminou aqui. A Sra. Thompson recebeu outra carta, em que Teddy a convidava para seu casamento e noticiava a morte de seu pai.

Ela aceitou o convite e no dia do casamento estava usando a pulseira que ganhou de Teddy anos antes, e também o perfume.

Quando os dois se encontraram, abraçaram-se por longo tempo e Teddy lhe disse ao ouvido: obrigado por acreditar em mim e me fazer sentir importante, demonstrando-me que posso fazer a diferença.

Mas ela, com os olhos banhados em pranto sussurrou baixinho: você está enganado! Foi você que me ensinou que eu podia fazer a diferença, afinal eu não sabia ensinar até que o conheci.
 
*     *     *

Mais do que ensinar a ler e escrever, explicar matemática e outras matérias, é preciso ouvir os apelos silenciosos que ecoam na alma do educando.

Mais do que avaliar provas e dar notas, é importante ensinar com amor mostrando que sempre é possível fazer a diferença...


Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em história de autoria ignorada.
 

Animais Cute Colors
Um Feliz e abençoado dia!!!

terça-feira, 9 de junho de 2015

"O homem moderno, apesar de viver a era da tecnologia, ainda é regido pela superstição. Por questões atávicas, vincula-se a crendices que o mantém preso à ignorância e lhe impedem voos mais altos. Assim, a crença de que os astros influenciam em sua vida permite que ele consulte horóscopos e assemelhados, antes de tomar decisões e realizar negócios. Em verdade, o campo magnético e as conjunções dos planetas influenciam no complexo celular do homem físico, em sua formação orgânica. Contudo, o Evangelho de Jesus nos ensina que cada qual receberá conforme suas obras. Cabe ao homem lutar para a conquista do melhor e não ficar aguardando a posição ideal dos planetas para essa ou aquela tomada de atitude. Alguns se vinculam a tradições numéricas e fazem referência a esse ou aquele número como o que confere sorte ou azar. Com todo o respeito que a numerologia nos merece, recordemos as lições do Divino Pastor e parafraseando-O, lembremos que os números foram feitos para os homens e não os homens para os números. E porque tudo é criado por Deus e o tempo somente existe, nas dimensões que o conhecemos, enquanto vivemos na Terra, convenhamos que todos os dias são sagrados. Aqueles que temos cuidados exagerados com a sexta-feira, recordemos alguns fatos de impacto na Humanidade. O luxuoso transatlântico Titanic, que partiu da Inglaterra e colidiu com um gigantesco iceberg, nas proximidades dos Estados Unidos, causou a morte de mil quinhentas e três pessoas. A tragédia aconteceu no dia 15 de abril de 1912. Não era dia treze, nem sexta-feira. Era uma segunda-feira. O Japão ainda recorda a terrível catástrofe provocada pelo lançamento da bomba atômica sobre Hiroshima, no ano de 1945, quase ao final da Segunda Guerra Mundial. Era uma segunda-feira, dia 6 de agosto. Se recordarmos a destruição das Torres Gêmeas, em Nova York, veremos que se deu no dia 11 de setembro de 2001. Era uma terça-feira. Eventos felizes ou infelizes ocorrem diariamente. Tragédias pessoais e coletivas. Todos os dias pessoas nascem, se casam, morrem. Sorriem ou choram. Se dizem felizes ou infelizes. Somos sete bilhões de seres sobre a face da Terra, em reajustes e provações. Motivo algum para que acreditemos que um dia, ou um número, ou um mês deva ser menos precioso do que outro. Aproveitemos as horas, realizando o melhor. Estamos neste mundo para progredir. E somente se progride, a esforço próprio, estudando, trabalhando, aperfeiçoando-se. Assim o fizeram todos os grandes sábios, inventores e pesquisadores. Assim procederam os ousados navegadores e descobridores de todos os tempos, sem dia, nem hora determinados. Utilizemos, dessa forma, cada dia, com sabedoria, e descobriremos, ao cabo das semanas, que toda hora é bendita e todo minuto se faz de importância. Não nos impressionemos com prognósticos desfavoráveis. Guardemos a certeza de que a nossa vontade é força determinante. Tranquilizemo-nos quanto a sucessos porvindouros, analisando com lógica rigorosa todos os estudos referentes a predições. Tenhamos em mente que cada qual tem a vida que procura, porque somos herdeiros de nossos próprios atos." (Redação do Momento Espírita, com base no cap. 35, do livro Espiritismo: Obra de educação, de Celso Martins, ed. EME; no cap. 40, do livro Conduta espírita, pelo Espírito André Luiz, psicografia de Waldo Vieira, ed. FEB e nas pergs. 140 e 142, de O Consolador, pelo Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. FEB.)

 
gif tartaruga
Segredo do casco da tartaruga


Logo que aprendeu a ler o menino começou a fazer descobertas.

Um dia estava folhando um livro e deparou com a palavra "réptil".

Procurou no dicionário e surpreendeu-se com o significado: "animal que se arrasta".

Pensava, até então, que réptil tinha a ver com rapidez e era justamente o contrário.

Seu pai riu do seu espanto e disse que as tartarugas também eram répteis.

Falou, ainda, com ares de mistério, que havia uma lenda chinesa narrando que Deus havia escrito o segredo da vida no casco de uma tartaruga.

De olhos arregalados o menino imaginava como poderia ter Deus usado o casco da tartaruga como se fosse uma folha de papel.

O pai, encantado com o interesse do filho, salientou que aprender a ler nos livros era apenas o começo da longa jornada do conhecimento.

Disse que, com o passar do tempo, o filho conseguiria ler no rosto de uma pessoa a história de sua vida.

Que bastaria observar os olhos de um amigo para ver se neles brilhava, ou não, felicidade.

Que, um dia, ao tocar nas mãos de um homem do campo, seria capaz de conhecer seus sofrimentos.

O menino não se ateve às novas argumentações do pai.

Ele era curioso.

Queria mesmo era saber qual seria o segredo da vida.

Por isso, começou a interessar-se pela vida das tartarugas.

Pesquisou, leu e aprendeu muito.

Passou a reconhecer as espécies e suas principais características.

Sabia onde era possível encontrá-las e que ameaças a maior parte delas sofria.

Quanto mais estudava, mais o menino se convencia de que realmente poderia descobrir a escrita de Deus naquelas criaturas.

Elas tinham carapaças misteriosas, com desenhos estranhíssimos, círculos coloridos, arestas longitudinais.

Algumas até pareciam mais uma pintura.

O menino foi crescendo e tornou-se um especialista em tartarugas.

Sabia distinguir uma adolescente de uma adulta e conhecia muito a respeito da desova das espécies marinhas no litoral.

Com o passar do tempo, porém, ele descobriu uma coisa muito importante.

Deu-se conta de que, assim como ele procurava o segredo da vida no casco das tartarugas, havia outras pessoas que buscavam a mesma coisa em lugares diferentes.

No pulsar das estrelas.

No canto dos pássaros.

No silêncio dos olhares.

No cheiro dos ventos.

Tudo que o cercava, afinal, podia ser lido.

Lembrou-se das palavras de seu pai.

Somente agora as compreendia.

Somente o tempo, como um professor que conduz o aluno pela mão, foi capaz de fazê-lo entender essa lição.

Longos anos separavam o ensinamento da compreensão.

Como todas as pessoas, em geral, ele fazia suas descobertas de forma lenta.

Muito lentamente, como as tartarugas.

Talvez estivesse aí o segredo.

Pense nisso!

Se você busca o segredo da vida, não se iluda com receitas e roteiros milagrosos.

Compreender a divindade e seus atributos, por vezes, parece estar além da capacidade humana.

Porém, não esqueça que Deus está em toda a parte, animando toda a sua maravilhosa obra.

Está, inclusive, em sua intimidade.

Pense nisso.


Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no conto de autoria de João A. Carrascoza, intitulado "O segredo do casco da tartaruga".

Gif de tartaruga
Uma ótima tarde!

segunda-feira, 8 de junho de 2015

"Muitas são as diretrizes que indicam caminhos para se encontrar a felicidade. Muitas sugestões e conselhos já foram dados para os que procuram pela felicidade. Essas iniciativas são positivas, quando nascidas do desejo sincero de ajudar. E são necessárias porque cada pessoa poderá seguir pela rota que mais lhe seja favorável e que esteja de acordo com suas forças e entendimento. Os caminhos para a felicidade são muitos. Uns são mais curtos e mais íngremes e exigem mais esforço e renúncias. Outros são mais longos e mais planos, mas todos conduzem ao mesmo fim. A felicidade é, sem dúvida, uma construção diária, que mais se efetiva quanto mais a ela nos dedicamos. Quanto mais conscientes dos passos que nos levarão ao seu encontro, mais perto dela estaremos. Mas enquanto não conseguimos conquistar a felicidade suprema, podemos ir preparando o caminho com algumas atitudes fáceis e lúcidas, nos passos de cada dia. Eis algumas dicas: Use expressões meigas e cobertas de ternura. As energias afáveis favorecem uma atmosfera de paz no coração que as exercita. Busque a visão otimista sobre as pessoas. Enxergue o lado bom que todos nós possuímos. Pequenos gestos de bondade por dia alicerçam as grandes atitudes do amanhã, sedimentando os nobres e elevados sentimentos. Silencie diante das críticas às atitudes infelizes do próximo. Somos nós mendigos do entendimento alheio ante nossos equívocos repetidos. Aprenda a deixar fluir a compaixão, quando a dor espelhar-se na alma do próximo. Condicionará, dessa forma, as próprias forças no caminho da caridade, irradiando o calor da fraternidade por onde passar. Sorria ainda que esteja atravessando difíceis momentos na Terra. O sorriso gera simpatias e afasta invernos escuros, permitindo o brilho do sol da esperança para você e para tantos que atravessam seu caminho. Mantenha a calma em qualquer situação. Quem confia em Deus e está convicto de Sua Providência infalível, sabe que os recursos necessários chegarão tanto mais rápidos e precisos quanto estivermos em posição positiva na vida. Tolere o mais que possa. Perdoe sempre. Leve paz onde houver dissensões. Quem semeia brisas suaves não enfrentará os tufões da agonia em estradas futuras. Conceda ao irmão do caminho a gentileza de sua sincera alegria pelas conquistas dele. Demonstre desprendimento natural. Prossiga leve com as aspirações elevadas. A cada dia coloque-se como instrumento de construção, ciente que Deus nos favorece com a bênção do serviço, para que Sua presença seja sentida no mundo por nosso intermédio. Você, e somente você é responsável pela sua felicidade ou sua desdita. Seu caminho para a felicidade só pode ser construído por você, mais ninguém. Se hoje você encontra em seu caminho pedras e espinhos é porque houve um tempo em que você se descuidou do seu jardim. Por isso, é importante não perder mais tempo. Selecione a boa semente e comece agora a reflorir seu caminho para que possa encontrar, logo mais, o perfume agradável da boa semeadura. Pense nisso!" (Redação do Momento Espírita, com base em mensagem extraída do livro Ajuda-te, pelo Espírito Marta, psicografia de Frederico Menezes)


Gif de gato
O segredo da felicidade


Há muito tempo, em uma terra muito distante, havia um jovem rapaz, filho de um rico mercador, que buscava obstinadamente o segredo da felicidade.

Já havia viajado por muitos reinos, falado com muitos sábios, sem, no entanto, desvendar tal questão.

Um dia, após longa viagem pelo deserto, chegou a um belo castelo no alto de uma montanha.

Lá vivia um sábio, que o rapaz ansiava conhecer.

Ao entrar em uma sala, viu uma atividade intensa. Mercadores entravam e saíam, pessoas conversavam pelos cantos, uma pequena orquestra tocava melodias suaves.

De longe ele avistou o sábio, que conversava calmamente com todos os que o buscavam.

O jovem precisou esperar duas horas até chegar sua vez de ser atendido.

O sábio ouviu-o com atenção, mas lhe disse com serenidade que naquele momento não poderia explicar-lhe qual era o segredo da felicidade.

Sugeriu que o rapaz desse um passeio pelo palácio e voltasse dali a duas horas.

"Entretanto, quero pedir-lhe um favor." - completou o sábio, entregando-lhe uma colher de chá, na qual pingou duas gotas de óleo.

"Enquanto estiver caminhando, carregue essa colher sem deixar o óleo derramar."

O rapaz pôs-se a subir e a descer as escadarias do palácio, mantendo sempre os olhos fixos na colher.

Ao fim de duas horas, retornou à presença do sábio.

"E então?" - perguntou o sábio - "você viu as tapeçarias da pérsia que estão na sala de jantar?

Viu o jardim que levou dez anos para ser cultivado?

Reparou nos belos pergaminhos de minha biblioteca?"

O rapaz, envergonhado, confessou não ter visto nada.

Sua única preocupação havia sido não derramar as gotas de óleo que o sábio lhe havia confiado.

"Pois então volte e tente perceber as belezas que adornam minha casa." - disse-lhe o sábio.

Já mais tranquilo, o rapaz pegou a colher com as duas gotas de óleo e voltou a percorrer o palácio, dessa vez reparando em todas as obras de arte.

Viu os jardins, as montanhas ao redor, a delicadeza das flores, atentando a todos os detalhes possíveis.

De volta à presença do sábio, relatou pormenorizadamente tudo o que vira.

"E onde estão as duas gotas de óleo que lhe confiei?" - perguntou o sábio.

Olhando para a colher, o rapaz percebeu que as havia derramado.

"Pois este, meu rapaz, é o único conselho que tenho para lhe dar: - disse o sábio - o segredo da felicidade está em saber admirar as maravilhas do mundo, sem nunca esquecer das duas gotas de óleo na colher."

Pense nisso!

Vivemos em um mundo repleto de atrativos e de propostas sedutoras.

Há milhares de maneiras de gastarmos nosso tempo, nossa saúde, nossa vida, enfim, com coisas belas e agradáveis, mas que, na verdade, podem nos afastar de nossos reais objetivos.

Cada um de nós carrega na consciência as missões que nos foram confiadas por Deus e as diretrizes para que as cumpramos satisfatoriamente.

É imprescindível alcançarmos o equilíbrio para que possamos viver no mundo, sem nos deixarmos seduzir por ele.

É urgente que tenhamos discernimento para que possamos admirar e aprender através das coisas do mundo, sem que negligenciemos, ou até mesmo abandonemos, nossos verdadeiros e inadiáveis deveres.


Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no livro como Atirar vacas no precipício, de Alzira Castilho, pp. 58/60.

Gif de gato
Um abençoado e feliz dia!