segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Pequenos ou grandes erros

A imagem pode conter: texto
Todo progresso se faz a partir das tentativas de melhorar o que já se sabe, ou de aprender aquilo que ainda se desconhece. 

É natural que esse processo seja acompanhado de uma sucessão de acertos e desacertos, de momentos de sucesso e outros de necessário refazer, até que o aprendizado se consolide ou o intento seja alcançado. 

No campo de nossa intimidade não poderia ser diferente. O progresso interior, a melhora de nossa paisagem íntima acontece da mesma forma. 

Fadados à perfeição, somos convidados pela vida, a cada instante, a alcançar objetivos maiores em nosso campo emocional. 

Por isso os embates, os desafios emocionais que se sucedem em nosso cotidiano. 

Ora o chefe tirano a nos convidar a desenvolver a paciência, doutra feita o cônjuge intransigente a nos exigir compreensão, ou ainda o filho exigente a nos demandar desvelo e dedicação. 

Nesses embates é natural que nem sempre nossas ações sejam coroadas de êxito. Não será todas as vezes que nossas atitudes serão as mais corretas, já que o erro é processo quase que inevitável perante o aprendizado. 

Jesus, profundo conhecedor da natureza humana, nos ensina de forma magistral a necessidade de, mesmo em erro, buscar os caminhos do acerto, a fim de que o progresso e melhora íntima sejam um processo contínuo. 

Quando Lhe trouxeram a mulher surpreendida em adultério, para que fosse apedrejada em praça pública, conforme prescrevia a lei da época, questionaram o Mestre sobre o que fazer. 

A pergunta era maldosa, na intenção. Se Jesus aprovasse o apedrejamento, estaria de acordo com a legislação, porém, favorável ao assassinato da adúltera. Se não o aprovasse, estaria preservando a vida da mulher, porém violando as escrituras. 

Contam os Evangelistas que Ele, calmamente, levanta os olhos para a turba em frêmito e pede para aqueles que estivessem sem pecados, sem erros, que atirassem as primeiras pedras. 

Demonstrava Jesus saber que todos passamos por tropeços, erros, desacertos até encontrar os caminhos que nos levam à felicidade. 
*     *     *
Assim, se pequenos ou grandes erros já cometidos lhe pesam na economia emocional, se lhe atingem a consciência alertando-o do desacerto, não se desestimule. 

Todo dia que amanhece é oportunidade de recomeço, de refazer valores, de retomar caminhos. 

Não há erro, por mais grave que seja, que a vida não oportunize redenção. Se você deseja reparar o mal feito, comece hoje, aproveitando a oportunidade de estar vivo, reencarnado ainda, para retomar sua estrada. 

Se você sintonizar com Jesus, pedindo Sua ajuda e proteção, nos desequilíbrios que o erro possa nos trazer, irá escutá-Lo na intimidade do coração a lhe dizer, tal qual o fez à mulher adúltera: 

Mulher, onde estão os que te acusavam? 

Percebendo a praça vazia, ela Lhe diz que todos se foram. 

Eu também não te acusarei, informa o Mestre. 

Porém, antes de partir, dá à mulher equivocada a solução para seus problemas: 

Vá e não tornes a pecar. 
*     *     *
Seja qual for o drama que nos assola o coração, Jesus estará sempre a nos aguardar o arrependimento, o entendimento do erro e a disposição para acertar, sabendo Ele que nosso progresso, inevitavelmente, ainda bordeja as estradas dos pequenos e grandes erros.


Redação do Momento Espírita.

Gif
A imagem pode conter: texto
Gif
A imagem pode conter: flor e texto
Gif
A imagem pode conter: texto
Gif
Nenhum texto alternativo automático disponível.
Gif
A imagem pode conter: desenho
Gif

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Adorei!
Com estima e apreço,
Myrna.