quinta-feira, 28 de maio de 2015

"Você costuma refletir sobre sua forma de viver, ou simplesmente vive? Sabe aonde seus passos o conduzirão, ou simplesmente caminha? Decide, conscientemente, a direção que toma, ou apenas segue à frente, de maneira quase automática? Reflete bem sobre o que pensa e diz, ou solta as palavras como uma metralhadora que dispara projéteis? Pondera, antes de agir, sobre os efeitos que surgirão de suas atitudes, ou prefere reclamar dos resultados infelizes só depois que surgem? Considere que cada escolha feita terá suas consequências correspondentes, desencadeando uma sucessão de fatos sem fim. Por tudo isso, reflita sobre o seu viver. Volte seu olhar para dentro de si próprio e analise a sua vida, seu modo de ser, suas decisões, os sentimentos que molduram seu caráter, suas reações, seus anseios, seus sonhos. Reflita sobre si. Sobre quem é você, de onde veio e para onde vai. Por que se encontra onde está, com as pessoas que o rodeiam, vivendo as situações que vive. Reflita sobre si mesmo. Pense em como seria se você fosse um pouco diferente do que é. Imagine se fosse um pouco melhor do que é, um tanto mais amável, mais amigo, menos impulsivo, menos reativo às vicissitudes da vida. Reflita e pense sobre como seria e como pode ser. Como será o seu viver, se experimentar um jeito novo de sentir aquele sentimento desagradável que lhe acomete. Como seria se ao invés de responder da maneira abrupta que lhe é comum, se esforçasse para responder com mais suavidade. Como seria se durante um dia inteiro não emitisse uma única reclamação, mesmo que os pensamentos lhe viessem à mente. Como seria atender a tudo que lhe solicitam sem azedume ou sem rabugice. Como seria se você fosse uma versão melhorada, repaginada de você mesmo, um sósia mais amoroso, mais terno. Talvez se você se permitisse executar todos esses procedimentos, na ordem que foram sugeridos, se surpreenderia ao ver que é capaz de ser o que imaginou, porque sabe que é capaz de ser melhor. Sabe que é possível mudar. Remova de si mesmo e da sua indolência todas as amarras que o prendem ao passado, ao que foi, ao que é. Dê a si próprio a chance de mudar as coisas, de tomar as rédeas da sua vida, de decidir as metas a serem alcançadas e obrigar-se a chegar ao objetivo que escolheu. Nada o impede. Nem Deus, nem o mundo, nem os outros. É você que se mantém onde está, por comodismo. Confie em si mesmo e verá descortinar outro amanhã, mais auspicioso. Com certeza se sentirá bem melhor do que se sente e muito mais próximo de Deus. Pense nisso, e jamais deixe de refletir sobre o seu viver! Ouça seu interior e ajuste seus passos na direção da grande luz." (Redação do Momento Espírita, com base em mensagem do Espírito Emengarda, psicografada por Marie-Chantal Doufour Eisenbach)


Gif de gatinho
Evite atropelar-se


Você se considera uma pessoa tranquila, ou sente-se ansiosa com frequência?

É digno de observação a maneira como as pessoas, de modo geral, se conduzem nas lidas cotidianas, nos diferentes compromissos e atividades que tenham que atender.

Tudo parece estar assinalado por temível fator de ansiedade, desde que bem poucas, pouquíssimas mesmo, são as almas que não se deixam minar pela ansiedade.

Essa ansiedade imprime em alguns tal destrambelhamento nervoso que o indivíduo se põe estático; tenso e preocupado com o que tem a sua frente para fazer, para esperar, para encarar.

Embora a tensão, não consegue tomar decisões; não consegue fazer nada. Como se se encontrasse em estado de choque.

Outras pessoas, quando visitadas pela ansiedade ficam superexcitadas, disparam numa tormenta mental, numa confusão de pensamentos e sentimentos que surgem na mente quase que a um só tempo.

Essa ansiedade é responsável, na maioria das vezes, pela agitação ou excessiva pressa em que se ajustam.

No dia-a-dia terreno, principalmente nos grandes centros urbanos, as pessoas correm daqui para ali, de um para outro lado, em tal nível de tensão do sistema nervoso que dão a impressão de que vão explodir ou implodir, de conformidade com o nível da ansiedade gerada.

Encontramos a excitação e correria naqueles que dirigem veículos nas ruas; nos que esperam nas filas; nas atividades e tarefas domésticas; nos que caminham pelas vias públicas; nos que têm o dever de administrar ou de controlar em várias situações da vida.

Se você se considera uma pessoa ansiosa e deseja deixar de ser, é preciso fazer pequenos esforços diariamente.

Evite, assim, atropelar-se nas rotas do mundo, habituando-se aos exercícios mentais de harmonização íntima por meio da oração, da meditação séria, da reflexão útil.

É de grande utilidade o esforço para a autodisciplina, a fim de que se alcance o nível desejado de integração com as leis de Deus.

Dessa maneira, aprenda a sair mais cedo para o trabalho, para os deveres sérios, evitando os excessos de adrenalina que impõem correr aqui, ali, em tudo e para tudo.

Busque alimentar-se alimentando-se, estudar estudando com atenção, dirigir veículos automotores ou não, quaisquer que sejam, com a necessária tranquilidade e calma.

Evite a tortura de querer fazer tudo ao mesmo tempo, aprendendo a fazer cada coisa por sua vez, desenvolvendo-se para melhor contribuir com o progresso geral.

Evite criar o costume de atrasar-se em tudo, porque você aprenderá a justificar todas as vezes, fazendo do seu atraso marca de sua personalidade.

Os atropelos humanos procedem, quase sempre, de mais ou menos grave estado de desorganização interior a refletir-se em tudo quanto o desorganizado faz.

O trabalho de reorganização íntima, a ser iniciado pelos pensamentos, é algo trabalhoso e demorado, e ninguém precisará criar novos procedimentos ansiosos para ter acesso a tal estado.

As ações atropeladas são características de pessoas imprudentes, agitadas, desastradas, indisciplinadas sempre.

O tempo que você aprende a homenagear, utilizando-o com dignidade, respeitosamente, é o mesmo que deporá a seu favor perante a consciência superior da vida, mostrando o quanto você cresceu, o quanto avançou e amadureceu, sem causar prejuízos a nada e a ninguém.

Pense nisso!

Exercite-se na paz diariamente.

Quando vir que se desarmoniza, que se excita por nada e que está levando os nervos à flor da pele, não demore em buscar o auxílio da prece; procure um ambiente que lhe inspire suavidade, para que leve adiante o seu feliz exercício da auto-harmonização.

Busque a paz por dentro d’alma.

Evite atropelar-se, porque você não resolverá nada assim, pois tudo será solucionado na hora certa, com as providências devidamente tomadas, sem atropelos.

Pense nisso!


(Cap. 17 do livro "Para uso diário", ed. Fráter Livros Espíritas)

Gif de gatinho
Feliz dia!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Adorei!
Com estima e apreço,
Myrna.