segunda-feira, 9 de março de 2015

"- Senhor! - rogou o discípulo, emocionado - quando identificarei a plenitude da paz e da felicidade, jornadeando neste mundo torvo, atribulado, de enfermidades e violências? O compassivo Mestre penetrando-o com a magia do seu encantamento, respondeu: - Quando puderes ver com a suavidade do meu olhar as mais graves ocorrências, sem precipitares julgamentos, remontando às causas; quando lograres ouvir com a paciência da minha compreensão generosa; quando puderes falar auxiliando, sem acusação nem desculpismo; quando agires com misericórdia, mesmo sob as mais árduas penas e prosseguires intimorato na senda do bem entre abrolhos pontiagudos, confiando nos objetivos superiores, já não serás tu, mas sim eu quem vive em ti, e, identificado comigo, fruirás de felicidade e paz. O aprendiz ouviu, meditou, e, levantando-se, partiu pela estrada do serviço ao próximo, intentando conjugar o verbo amar, sem cansaço, sem ansiedade, sem receio." (Espírito Eros)



Photobucket
Reclamar e exemplificar


Na vida cotidiana, são constantes as reclamações a respeito do proceder alheio.

É comum se achar que o outro faz pior ou menos do que deveria.

Empregados criticam os patrões.

Empregadores acham que seus contratados não trabalham como deveriam.

Esposas consideram que seus maridos não as auxiliam o suficiente nas tarefas do lar.

Esposos se sentem incompreendidos quanto ao cansaço que decorre de seu trabalho.

De um modo ou de outro, sempre se espera bastante do próximo.

Ocorre que ninguém consegue modificar o semelhante à custa de meras exigências ou reclamações, por fundadas que pareçam.

Já grande é o poder transformador do exemplo.

Mais efetivo do que bradar contra os erros do mundo é viver com acerto.

Se você ainda não pode ser considerado um padrão de conduta, lembre-se de que dispõe de pleno poder modificativo sobre si próprio.

A qualquer momento, pode decidir ser compreensivo, trabalhador, generoso e puro.

Por certo, o mundo desafiará tais decisões, tão logo sejam tomadas.

Mas tudo tem um princípio e demora um tempo para se consolidar.

Os maus hábitos de hoje foram construídos em algum momento da jornada milenar.

Em algum instante, a criatura se permitiu o princípio de qualquer leviandade que hoje a infelicita.

Vícios e virtudes são a tragédia ou o tesouro que se constrói com o tempo.

Os vícios ensejam dores e candidatam seu possuidor a sacrificadas vivências de depuração.

Já as virtudes trazem paz e plenitude.

Para ser feliz, incumbe a cada qual desenvolver em si as virtudes mais sublimes, passo a passo.

Cesse, pois, reclamações e pare de se angustiar com o proceder alheio.

Perante o egoísmo que impera no mundo, seja quem auxilia e ampara.

Em face de perversões, mantenha um padrão puro de conduta.

Mesmo entre maledicentes, zele para que sua boca não seja causa de escândalo.

Em um ambiente corrupto, seja rigorosamente honesto.

É maravilhoso que você esteja em condições de perceber e viver o bem, enquanto muitos ainda não o conseguem.

Não menospreze essa dádiva, apenas com base no proceder equivocado dos outros.

Na impossibilidade de modificar o semelhante, cresça em compreensão.

E jamais olvide o poder dos exemplos.

Sua conduta ilibada e desprendida, cedo ou tarde, causará impacto nos que o rodeiam.

Revele a luz que existe em seu ser!

O primeiro a beneficiar-se da luminosidade será você, que gozará da bênção de uma consciência pacificada.

Pense nisso.


Redação do Momento Espírita.


Um feliz e abençoado dia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Adorei!
Com estima e apreço,
Myrna.