sábado, 14 de fevereiro de 2015

"Não deis aos cães as coisas santas." - Jesus. (MATEUS, 7:6.) ...."Certo, o cristão sincero nunca se lembrará de transformar um cão em participe do serviço evangélico, mas, de nenhum modo, se reportava Jesus à feição literal da sentença. O Mestre, em lançando o apelo, buscava preservar amigos e companheiros do futuro contra os perigos da imprevidência. O Evangelho não é somente um escrínio celestial de sublimes palavras. É também o tesouro de dádivas da Vida Eterna. Se é reprovável o desperdício de recursos materiais, que não dizer da irresponsabilidade na aplicação das riquezas sagradas? O aprendiz inquieto na comunicação de dons da fé às criaturas de projeção social, pode ser generoso, mas não deixa de ser imprudente. Porque um homem esteja bem trajado ou possua larga expressão de dinheiro, porque se mostre revestido de autoridade temporária ou se destaque nas posições representativas da luta terrestre, isto não demonstra a habilitação dele para o banquete do Cristo. Recomendou o Senhor seja o Evangelho pregado a todas as criaturas; entretanto, com semelhante advertência não espera que os seguidores se convertam em demagogos contumazes, e, sim, em mananciais ativos do bem a todos os seres, através de ações e ensinamentos, cada qual na posição que lhe é devida Ninguém se confie à aflição para impor os princípios evangélicos, nesse ou naquele setor da experiência que lhe diga respeito. Muitas vezes, o que parece amor não passa de simples capricho, e, em consequência dessa leviandade, é que encontramos verdadeiras maltas de cães avançando em coisas santas." (Emmanuel)

O bem que não foi feito
"Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que têm fé e não tiver as obras?
Por ventura, a fé pode salvá-lo? (Tiago, 2:14)


Estranha a norma do homem quando julga possuir as chaves da Vida Superior, simplesmente por manter a fé, como se bastasse apenas convicção para que se realize serviço determinado.
 
Comparemos a fé e as obras com a planta e as construções.
 
Sem plano adequado, não se ergue edifício em linhas corretas.
 
Note-se, porém, que o aleijão arquitetônico, improvisado sem plano, ainda, serve, em qualquer parte, para albergar os que jornadeiam sem rumo, e o projeto mais nobre sem concretização que lhe corresponda, não passa de preciosidade geométrica, sentenciada ao arquivo.
 
Um viajante transportará consigo vasta coleção de croquis pelos quais se levantará toda uma cidade, mas, se não dispõe de uma tenda a que se abrigue durante o aguaceiro, decerto que os desenhos, conquanto respeitáveis, não impediram que a chuva lhe encharque os ossos.
 
Possuir uma fé será reter uma crença religiosa; no entanto, cultivar a fé significa observar segurança e pontualidade, na execução de um compromisso.
 
Ninguém resgata uma dívida unicamente por louvar o credor.
 
A vista disso, não nos iludamos.
 
Asseguremo-nos de que não nos faltará a Bondade Divina, mas construamos em nós a humana bondade.
 
Por muito alta a confiança de alguém no Poder Maior do Universo, isso, por si só, não lhe confere o direito de reclamar o bem que não fez.

 
Emmanuel

 
Gif de flor
Felicidades sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Adorei!
Com estima e apreço,
Myrna.