sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

"A vida é sempre o resultado de nossa escolha." (André Luiz)... Um ótimo Carnaval!..................




Carnaval


O Brasil é um país de inúmeras festas.

É assombroso o número de feriados no calendário anual.

Mas, se somarmos os dias que são emendados, teremos ao longo do ano, mais de quinze dias parados. Segundo especialistas do assunto, os prejuízos são enormes para o país.

Agora, nesta época, temos o feriado de carnaval.

Em alguns lugares perde-se mais de uma semana de trabalho.

É o festejo da alegria num país de quase quarenta milhões de miseráveis.

Desde o início de janeiro a mídia vem explorando as folias de Momo, como se fosse o acontecimento mais importante do ano.

Fala-se em alegria, festa, colocar para fora as angústias contidas durante o ano passado. Infelizmente, os caminhos propostos nada têm a ver com alegria ou alívio de tensões.

Ligamos a televisão e ouvimos a batida repetitiva das escolas de samba, cujo valor folclórico e cultural foi lentamente sendo perdido. Há muita gente que busca fazer do carnaval um momento de esperança, oportunizando empregos, abrigando menores e isso é muito valioso.

Entretanto, o grande saldo da festa se resume em duas palavras: ilusão e sensualidade.

Referimo-nos à ilusão dos entorpecentes, dos alcoólicos.

A ilusão de grandeza, que falsamente produz um imenso contraste entre a beleza da avenida e a subvida dos barracos.

Falamos da sensualidade que se torna material de venda, nos corpos desnudos e aparentemente felizes por fora, mas muitas vezes profundamente infelizes por dentro.

As emissoras não cansam de exibir os bailes, os concursos de fantasias, os desfiles, levando-os a todos os que se comprazem em observar a loucura.

Mas, ao longo do caminho, multiplicam-se os doentes de AIDS, os abortamentos, a pobreza e o abandono, a violência.

Com o risco de sermos taxados de moralistas, num tempo em que se perdem as noções de moralidade, não podemos deixar de analisar criticamente esses disparates do mundo brasileiro.

Em nenhum momento nos colocamos contra a alegria. Porém, será justo confundir euforia passageira com alegria real?

Alegria de verdade seria viver num lugar onde não houvesse fome, violência, tráfico de drogas e tráfico de influências.

Não podemos nos colocar contra o alívio de tensões. Entretanto, alívio real seria encontrar um caminho para os graves problemas que o país atravessa.

O carnaval é bem típico da alienação espiritual que a sociedade se permite. De um lado, as falsas aquisições sociais de alguns, negadas pela agressividade de muitos; de outro, a falsa felicidade de quatro dias de folia, e trezentos e sessenta e um dias de novas e renovadas angústias.

Vale a pena?

Nessas horas, pessoas embriagadas, perdidas, usam um segundo de falso prazer, em troca de um enorme tempo de arrependimentos. Por quê?  - Perguntamos.

As pessoas pulam, vibram, e nem ao menos sabem o motivo da festa. Vão porque as outras pessoas também vão.

Enquanto a sociedade agir dessa forma, sem personalidade digna, dando valores justamente aos desvalores, as pessoas continuarão sofrendo as consequências de seus próprios atos.

Vamos fazer desses dias de feriado, dias de alegria verdadeira, em paz conosco mesmos.

Vamos meditar, ler, pensar. Vamos conviver com nossa família e amigos, trocar ideias salutares.

Vamos orar também por aqueles que ainda não tiveram consciência de fazer o bem conforme o Cristo nos recomendou, e padecem nesses instantes de euforia descontrolada.



Redação do Momento Espírita.
Em 22.5.2007.


Gif Carnaval

Um ótimo...
Gif Carnaval

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

"A luta enriquece-o de experiência, a dor aprimora-lhe as emoções e o sacrifício tempera-lhe o caráter. O Espírito encarnado sofre constantes transformações por fora, a fim de acrisolar-se e engrandecer-se por dentro." ...."A questão mais aflitiva para o espírito no Além é a consciência do tempo perdido." ..."Na vida, não vale tanto o que temos, nem tanto importa o que somos. Vale o que realizamos com aquilo que possuímos e, acima de tudo, importa o que fazemos de nós!"... "Todo dia de ontem pode ter sido árduo. Muitas lutas vieram, deixando-te o cansaço. Provas inesperadas alteram-te os planos. Soma, porém, as bênçãos que Deus te entregou. Esquece qualquer sombra, não pares, serve e segue. Agora é novo dia, tempo de caminhar." (Chico Xavier)

 
Foto: ☻/ 
/▌ 
/ \ Curta Lindas Mensagens
(⁀‵⁀,) ✫✫✫.
.⋎´✫✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫
✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫
Tudo é transitório


Um redator de importante revista nacional escreveu, em um de seus artigos, algo que nos levou a reflexões a respeito da vida que levamos.

Escreveu ele que pode até não ser verdade. Talvez a História não comprove o fato, contudo, é uma excelente ideia.

Na Roma antiga, quando um general voltava de uma campanha vitoriosa no estrangeiro, fazia-se uma grande procissão pela cidade.

O povo saía às ruas para assistir o desfile triunfal do comandante vencedor e homenagear a grandeza que ele trazia para a pátria.

Era a honra máxima que um cidadão romano podia almejar. Mas, para chegar a isso, ele devia ter trabalhado muito por Roma.

Ele devia ter matado em combate pelo menos cinco mil soldados inimigos; tinha de mostrar os chefes derrotados, que desfilavam atrás do seu carro; devia ter enfrentado um exército, no mínimo, equivalente ao seu.

E, acima de tudo, devia trazer a sua tropa de volta para casa porque um líder é responsável pelos seus liderados.

Entretanto, os romanos, que passaram à História como os símbolos do orgulho, paradoxalmente tinham em alta conta a modéstia pessoal.

Como, então, receber toda essa homenagem, desfilar vitorioso pela multidão como um rei, ser ovacionado como o grande triunfador e não se encher de soberba?

É aí que aparece a grande ideia. Logo atrás do general vitorioso, no mesmo carro puxado por quatro cavalos, que ele conduzia, ficava um escravo.

De tanto em tanto tempo, ele dizia baixinho, no ouvido do triunfador: Memento mori. Ou seja: Lembre-se de que você vai morrer um dia.

Com certeza, nada melhor para baixar a soberba de qualquer alta autoridade que começa a se achar o bom, o melhor.

*    *    *

Lembre-se de que você vai morrer um dia. Essa a reflexão que, de tempos em tempos, seria oportuno nos permitirmos.

Não somos imortais na carne, embora alguns, antecipando novas e surpreendentes conquistas da ciência médica, apregoem que chegará o dia em que não mais haveremos de morrer. Seria trágico e enfadonho.

Imortais somente como Espíritos, que entramos num corpo, vivemos, produzimos, saímos dele, retornamos ao grande lar da Espiritualidade e tornamos ao cenário do mundo.

Isso se chama dinamismo e renovação. Mas, lembrar que teremos fim um dia, que nossos eventuais inimigos também haverão de morrer, que tudo passa, é medida salutar.

Nada é perene, sobre a Terra. Passam as questões corriqueiras, o poder, a autoridade humana, a vida física.

O que hoje é, amanhã poderá deixar de ser.

Assim reflexionando, não ficaremos agarrados a pretensos cargos, a fortunas, a interesses mesquinhos. Tudo é transitório na Terra.

Hoje detemos o cargo, amanhã estará em outras mãos. Hoje comandamos centenas de pessoas, amanhã essas mesmas pessoas poderão estar acompanhando nosso funeral.

Pensemos: somente o Espírito é imortal. Somente os bens espirituais são aqueles que podemos levar conosco, pelas vidas afora.

Assim sendo, semeemos o bem, façamos nosso melhor como se hoje fosse nosso último dia neste mundo. Amemos, abracemos, façamos nosso melhor porque o amanhã poderá nos surpreender nos campos da Espiritualidade.

Ali será outra realidade, outro tempo.

Pensemos nisso.



Redação do Momento Espírita, com dados iniciais colhidos no artigo de J. R. Guzzo, publicado na revista Veja, de 29 de agosto de 2012.
Em 7.3.2013.
 
 

Foto: Mensagem do Dia 27/02/2014
Ilusões da vida.

Tudo que almejamos enquanto estamos no plano espiritual são 
as realizações de nossas tarefas,  para não sucumbirmos em nossa caminhada evolutiva. Deus em...>>>continue lendo:

http://www.gotasdepaz.com.br/mensagem/2202/ilusoes-da-vida.html

Se gostou desta mensagem edificante "ilusões da vida", 
cadastre-se na Newsletter do site www.gotasdepaz.com.br 
e receba mensagens edificantes diariamente no seu e-mail....
Bom dia, e vamos acordar para a vida...!
 
Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes
 
Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes
 
Foto: Restitui
 
Foto: Brincando de viver
 
Foto

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

"Deus nos concede a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela, corre por nossa conta."....."Cada dia que amanhece assemelha-se a uma página em branco, na qual gravamos os nossos pensamentos, ações e atitudes. Na essência, cada dia é a preparação de nosso próprio amanhã." (Chico Xavier) ..."Quem reclama tem tempo pra sorrir?"(D.A.)...


 
Quem oferece flores



Quem oferece flores está sempre perfumado.

A frase é uma das muitas adaptações já sofridas por um possível provérbio chinês antigo.

Em outra versão lê-se que um pouco de perfume sempre fica nas mãos de quem oferece flores.

Na essência dessa ideia está o ensino de que somos nós os maiores beneficiados por uma boa ação praticada, por uma doação, por um gesto de carinho.

Quem recebe as flores poderá se perfumar ou não, se encantar ou não, ficar agradecido ou dar pouca importância.

Porém, quem oferece o ramalhete já está perfumado.

Não temos controle sobre a reação do outro. Não sabemos se irá aproveitar bem, se saberá dar o verdadeiro valor àquilo que fizemos ou dissemos.

Mas, ao tomar a decisão de colher as rosas já estamos nos encharcando de sua essência delicada e bela.

Depois, transportando-as e permanecendo em sua companhia por um tempo, presenteamos nossos próprios olhos e pensamentos com imagens floridas.

Por vezes nos preocupamos em demasia em como o outro irá receber, se saberá valorizar, se saberá agradecer, e acabamos intranquilizando a alma.

A alma de quem oferece florescências não precisa se angustiar, pois já está mergulhada no bem, inundada de amor, do verdadeiro amor, aquele que não espera retorno nem reconhecimento.

É claro que sempre torcemos pelo sorriso no rosto de quem recebeu nosso presente, como se ele fosse a confirmação de que nossa ação foi nobre.

Porém, a confirmação maior está em nossa consciência, que sempre nos avisa, que sempre nos sinaliza quando estamos no caminho dos sentimentos nobres.

Aí está o pouco de perfume que permanece em nossas mãos.

Sempre saímos ganhando quando nos doamos, quando nos preocupamos com o outro. Essa é uma das grandes bênçãos da caridade – ela nos preenche.

Igualmente, se pensarmos pelo lado negativo, das ações maléficas, imaginemos mãos cheias de lama, prontas para atirar no outro.

Quem atira a lama já está coberto dela. É o primeiro que se suja e se prejudica e, mesmo que a jogue longe, mirando em algo ou alguém, sempre permanecerá com as mãos lamacentas.

Isso nos leva a entender que sempre temos a escolha: de estar com as mãos perfumadas ou cheias de lama.

*    *    *

Ofereço-lhe as flores de minh´alma,

Colhidas aqui e ali, nos campos que percorri,

Nas vidas que vivi, durante este tempo em que já sou eu.

Ofereço-lhe meus sorrisos e minha arte,

A arte de misturar as palavras multicolores, como flores, fazendo um jardim,

Ofereço-lhe meu tempo mais precioso, pois tempo que se passa junto é muito maior do que aquele que se passa só,

Ofereço-lhe companhia, não de quem pensa igual, mas de quem pensa ao lado, ouve, respeita e entende outros tipos de pensares.

Ofereço-lhe o que há de melhor em mim... E o mais curioso é que não me esvazio. Não, ao fazer isso, sinto-me ainda maior.




Redação do Momento Espírita.
Disponível no CD Momento Espírita, v.24, ed. Fep.
Em 4.3.2013.
 

 

Boa tarde!

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

"Ninguém quer saber o que fomos, o que possuíamos, que cargo ocupávamos no mundo; o que conta é a luz que cada um já tenha conseguido fazer brilhar em si mesmo." (Chico Xavier)



 
Foto: Preservação da Natureza
A poluição também prejudica a Natureza...
Luz do mundo


Jesus, o Mestre dos mestres, tinha sempre palavras de estímulo aos que O seguiam.

Ninguém como Ele utilizou de forma tão excelente os vocábulos de incentivo a quem pretendesse estar com Ele.

É assim que nos credencia a herdeiros do Universo, pois que somos filhos do Pai que tudo criou, bem como nos chama Filhos da Luz, ramos da videira, aqueles que podem fazer tudo o que Ele fez e muito mais.

De forma amiúde, ficamos nos questionando a respeito de algumas de Suas afirmativas.

Por nos considerarmos tão pequenos, tão distantes da grandeza de que Se reveste o Mestre de Nazaré, indagamo-nos se Ele estaria certo ao nos ofertar tais credenciais.

Filhos da Luz? Nós, que nos sentimos ainda tateando em sombras densas?

Andar no mundo como Filhos da Luz, enquanto temos luz? De que luz dispomos? De que intensidade é nossa luz?

Então, nos lembramos do valor de um fósforo em plena escuridão.

Quando o breu se faz porque a energia elétrica sofre uma pane, como a luz débil de um fósforo faz a grande diferença!

Disse alguém que nos podemos considerar como um fósforo aceso.

Sim, a chama não ilumina grande distância, mas faz a diferença entre a escuridão total e uma pequena claridade.

Claridade que nos retira, por breves segundos, embora, da insegurança total das trevas.

Claridade que nos permite ver o outro, perceber que não estamos sós, que mais alguém compartilha conosco daquela situação. E nos darmos as mãos.

Claridade que nos permite ir em busca de uma lanterna, de uma vela, de um lampião.

Ou, se nada disso se tiver, acender um outro fósforo. E outro, e mais outro.

Quem sabe, fazer um clarão maior, enquanto a energia elétrica não se restaura.

Em se tratando da sociedade, podemos imaginar o mesmo valor dessa pequena luz.

Se somos um fósforo de dignidade que se acende quando a corrupção anda à solta, fazemos a diferença.

Porque a nossa chama mostra a outros o nosso valor e motiva a que os demais resolvam acender a sua própria chama.

Se, em meio à indiferença geral, somos o fósforo que aquece a alma e a vida de quem sofre; se em meio à covardia moral, mostramos a luz da correta conduta; se, enfim, somos a pequenina chama da amizade, da justiça, da fé, quanta luz espalharemos por onde passarmos?

Tinha, portanto, toda razão Jesus ao nos estimular a andar no mundo como Filhos da Luz, andar enquanto tivermos luz.

A luz ilumina onde se apresente e mostra cores, onde somente havia trevas;

Mostra pessoas onde somente havia solidão; acena esperança onde grassa a infelicidade.

Pensemos nisso e atendamos ao incentivo do Mestre de Nazaré.

Não nos preocupemos com a chama pequena, oscilante ou de duração efêmera.

Mostremos nossa luz. Mesmo que somente seja para acender outra luz.

Será a nossa contribuição para o mundo de alegrias, risos e cores que todos desejamos para nós, para nossos filhos, para as gerações futuras.



Redação do Momento Espírita. Disponível no CD Momento Espírita, v. 13, ed. Fep.
 
 

Foto: Mensagem do Dia 25/02/2014
Ser Otimista

Ser otimista é perseverar sempre com pensamentos positivos...
Ser otimista é conquistar a modificação através de...leia mais:

http://www.gotasdepaz.com.br/mensagem/1460/ser-otimista.html

Se gostou desta mensagem edificante "ser otimista", 
cadastre-se na Newsletter do site www.gotasdepaz.com.br 
e receba mensagens edificantes diariamente no seu e-mail....
Bom dia, e seja otimista por natureza...!

Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes

Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes

Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes




segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

"Todo intercâmbio entre as almas está em constante processo de renovação no sustento da marcha evolutiva de todos. Nenhum coração pode viver normalmente sem companhia. Olhar, gesto e palavra, ocorrências naturais em qualquer recanto da vida terrestre, tem significações profundas para a garantia da felicidade. O olhar exprime os mais diversos sentimentos na mímica da face. O gesto pode ser o movimentos inicial de grandes ações. A palavra constrói ou destrói facilmente e, em segundo, estabelece, por vezes, resultados vitais para muitos anos. Toda criação da consciência reveste-se de importância particular. Desde o pensamento isolado a germinar da forja do cérebro à plasmagem respectiva, tudo se afirma com valor específico, registrado, medido e julgado por Leis Inderrogáveis. Modificam-se os valores da vida externa, segundo os valores do entendimento. Examinemos semelhante realidade. O arco e a flecha, preciosos para o selvagem, carecem de proveito nas mãos do homem relativamente instruído. Uma enciclopédia mostra expressão diferente aos olhos do professor e aos olhos do analfabeto. As notas musicais são melodias para o músico e vibrações sonoras para o físico. O desespero desconhece a paz que mora invariavelmente no centro da vida. A teimosia apenas aprova o que lhe convém às cristalizações. O egoísmo vê concorrentes em todas as criaturas. A fraternidade encontra irmãos em todos os companheiros. A avaliação do bem e do belo varia, portanto, de espírito a espírito, de acordo com o burilamento íntimo de cada um. Levantemos o pensamento para Jesus. O Evangelho reúne os valores indestrutíveis. Aproveita o mínimo ensejo de auxiliar aos semelhantes. Observa o lado nobre das ocorrências. Ajusta o colorido do otimismo nas telas do cotidiano. Confia e espera com paciência. O objetivo maior da Criação é a felicidade real de todos." (André luiz)



Foto
Recomendações derradeiras


Um dia, que ignoro quando, meus olhos hão de se fechar para esta existência.

Mais cedo ou mais tarde, meu corpo, ainda jovem, ou quem sabe, cansado e enfermo, há de se entregar irremediavelmente e deixará de vibrar.

Minhas mãos hão de repousar inertes e meus pés já não  poderão me levar à parte alguma.

Terei deixado essa vida, feliz ou não, partindo para o outro plano da existência, como tantas vezes já o fiz, quando me valia de outros veículos carnais.

Pois bem, eis aí o meu destino.

Idêntico ao de todos os demais seres viventes: nascer, morrer, renascer...

Hei de morrer, mas não temo a morte, porque sei que meu Espírito sobreviverá a ela.

Respeito-a, porque sei que representa o final de um ciclo e o início de outro.

É uma passagem, uma transformação.

É um fato natural e inevitável.

Sabendo disso, muitos são os que tecem seus testamentos, pensando naqueles que ficam.

Também eu quero que algumas recomendações sejam registradas.

Aos meus filhos quero deixar meus exemplos corretos.

Que eles possam fazer uso de meus acertos, das palavras bem colocadas e das atitudes dignas de nota.

Quero que eles cantem alegres, repetindo refrões das músicas que tantas vezes cantamos juntos.

Deixo a eles a certeza de que muito os amei, os amo e os amarei para sempre, porque nem o tempo, nem a distância são capazes de diminuir a intensidade de um verdadeiro amor.

Deixo-lhes, ainda, as lembranças dos momentos alegres que passamos, e que ainda passaremos juntos.

Espero que essas recordações possam lhes fazer companhia nos momentos em que a saudade vier lhes roubar a paz e os sorrisos.

Aos meus amigos deixo minhas melhores conversas e toda a sensação de alegria que a presença deles possa ter causado em minha vida.

Deixo-lhes a minha gratidão por todas as vezes que me ouviram, me toleraram e me animaram a continuar na luta.

Aos meus amores deixo o meu afeto mais puro e a esperança de um reencontro mais sereno e equilibrado, em um futuro não muito distante.

Que não se sintam cobrados, nem pressionados, se, por acaso, não me dedicarem o mesmo amor que lhes ofereço.

Àqueles que feri, que magoei, que prejudiquei, deixo meu sincero pedido de perdão e meu desejo de reparar todo o mal que lhes causei e todo bem que deixei de lhes oferecer.

Espero que possam aceitar minhas desculpas e que me permitam ressarcir-lhes, um dia, os danos que minha incúria e meu egoísmo lhes causaram.

Deixo a todos aqueles que cruzaram meu caminho e que, de alguma maneira, influenciaram minha existência, meu humilde agradecimento.

Desejo que, um dia, possa eu também lhes ser útil, auxiliando-os na dura jornada do progresso individual.

À natureza deixo minha mais intensa e profunda gratidão, pela sua exuberância e por tudo que dela me vali nessa existência.

Desejo que ela seja respeitada e conservada para que não se deteriore pelo descaso humano.

Aos meus pais e a Deus, Pai de bondade, deixo o meu reconhecimento pela oportunidade da vida e pela dedicação constante e incondicional que me foi oferecida.

Assim, partirei com a mente e com o coração mais pacificados, porque terei legado o que de melhor há em mim, em benefício de todos aqueles que me são caros.


Redação do Momento Espírita.
Em 28.07.2008.


Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes

Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes

Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes

Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes


domingo, 23 de fevereiro de 2014

"A amizade é o sentimento que imanta as almas unas às outras, gerando alegria e bem-estar. A amizade é suave expressão do ser humano que necessita intercambiar as forças da emoção sob os estímulos do entendimento fraternal. Inspiradora de coragem e de abnegação. a amizade enfloresce as almas, abençoando-as com resistências para as lutas. Há, no mundo moderno, muita falta de amizade! O egoísmo afasta as pessoas e as isola. A amizade as aproxima e irmana. O medo agride as almas e infelicita. A amizade apazigua e alegra os indivíduos. A desconfiança desarmoniza as vidas e a amizade equilibra as mentes, dulcificando os corações. Na área dos amores de profundidade, a presença da amizade é fundamental. Ela nasce de uma expressão de simpatia, e firma-se com as raízes do afeto seguro, fincadas nas terras da alma. Quando outras emoções se estiolam no vaivém dos choques, a amizade perdura, companheira devotada dos homens que se estimam. Se a amizade fugisse da Terra, a vida espiritual dos seres se esfacelaria. Ela é meiga e paciente, vigilante e ativa. Discreta, apaga-se, para que brilhe aquele a quem se afeiçoa. Sustenta na fraqueza e liberta nos momentos de dor. A amizade é fácil de ser vitalizada. Cultivá-la, constitui um dever de todo aquele que pensa e aspira, porquanto, ninguém logra êxito, se avança com aridez na alma ou indiferente ao elevo da sua fluidez. Quando os impulsos sexuais do amor, nos nubentes, passam, a amizade fica. Quando a desilusão apaga o fogo dos desejos nos grandes romances, se existe amizade, não se rompem os liames da união. A amizade de Jesus pelos discípulos e pelas multidões dá-nos, até hoje, a dimensão do que é o amor na sua essência mais pura, demonstrando que ela é o passo inicial para essa conquista superior que é meta de todas as vidas e mandamento maior da Lei Divina." (Joanna de Ângelis)




Preciso de alguém...


Você tem amigos?

Em caso positivo, então sabe o quanto é importante ter amigos verdadeiros.

Muito já se falou desses tesouros chamados amigos, mas nem todas as pessoas lhes dão o devido valor.

Quando não se é rico, nem importante, nem famoso, é fácil saber quem são os amigos, pois, em tese, não têm outro móvel para uma aproximação, que não seja a amizade pura e simples.

O mesmo não acontece com pessoas ricas ou famosas, pois aí poderá haver aproximações movidas por interesses e conveniências, nem sempre baseados na amizade sincera.

É muito comum que pessoas famosas, muitas vezes, se sintam solitárias, fiquem depressivas e apáticas, por falta de alguém em quem possam confiar incondicionalmente.

Talvez seja por essa razão que uma poetisa escreveu o seguinte:

Preciso de alguém que me olhe nos olhos quando falo; que ouça as minhas tristezas e neuroses com paciência.

E, ainda que não compreenda, respeite os meus sentimentos.

Preciso de alguém que venha brigar ao meu lado, sem precisar ser convocado.

Alguém amigo o suficiente para dizer-me as verdades que não quero ouvir, mesmo sabendo que posso odiá-lo por isso.

Nesse mundo de céticos, preciso de alguém que creia nessa coisa misteriosa, desacreditada, quase impossível: a amizade.

Que teime em ser leal, simples e justo, que não vá embora se algum dia eu perder o meu ouro e não for mais a sensação da festa.

Preciso de um amigo que receba com gratidão o meu auxílio, a minha mão estendida. Mesmo que isto seja muito pouco para suas necessidades.

Preciso de um amigo que também seja companheiro, nas farras e pescarias, nas guerras e alegrias e que, no meio da tempestade, grite em coro comigo: "Nós ainda vamos rir muito disso tudo."

E ria muito. E nessa busca empenho a minha própria alma, pois com uma amizade verdadeira, a vida se torna mais simples, mais rica e mais bela...

A verdadeira amizade está acima de quaisquer valores financeiros. Todo o dinheiro do mundo não seria suficiente para adquirir uma amizade leal, já que é um sentimento que não está à venda.

E por mais rico que seja um ser humano, ele não será completamente feliz se não contar com, pelo menos, um amigo fiel.

De nada valeria ser a pessoa mais famosa do mundo, se não puder contar suas alegrias a um amigo.

De nada adiantaria ter todas as riquezas materiais que o mundo pode oferecer, se não houver uma amizade para compartilhar.

Por outro lado, ainda que a pessoa seja a mais pobre da face da Terra, se tiver um amigo verdadeiro, nunca passará necessidade.
 
*    *    *

Quando outras emoções se enfraquecem no vaivém dos choques, a amizade perdura, companheira devotada das pessoas que se estimam.

Ter amizade é ter coração que ama e esclarece, que compreende e perdoa, nas horas mais amargas da vida.

A amizade pura é uma flor que nunca morre.



Redação do Momento Espírita, com base em poesia de Cris Passinato, constante no site: www.forumpoeticomundial.hpg.ig.com.br/


Foto

Foto

Foto

 
Foto

sábado, 22 de fevereiro de 2014

"Cada um dá o que pensa. Cada um cede o que tem. Cada um encontra o que procura. Cada um recolhe o que semeia. Cada um aprende o que estuda. Cada um dispõe do que entesoura. Cada um permanece onde se coloca. Cada um realiza o que imagina. Cada um mentaliza o que sente. Cada um faz o que deseja. Cada um recebe conforme pede. Cada um se mostra finalmente por fora como age por dentro. Cada espírito é um mundo por si. Cada coração é continente diverso da vida infinita. Cada propósito é uma força. Cada anseio é uma oração. Cada atitude é uma causa. Cada resolução é um movimento. Cada existência é um livro original. Cada gesto é uma semente que produz sempre, segundo a natureza que lhe é própria. Guardemos, assim, a nossa bússola imantada em Jesus, na grande viagem da evolução, de vez que, de acordo com a Sabedoria Divina, "cada qual receberá do Universo, do mundo e das criaturas, de conformidade com as próprias obras"." (André Luiz)



Foto: ✿¸.◦*✿✿¸.◦*✿✿¸.◦*✿✿ SAPATO FLORIDO
Oração a mim mesmo


Imagine fazer uma prece a você mesmo.

Imagine poder conversar consigo mesmo de uma forma suave, profunda, definitiva.

Quem sabe você poderia dizer assim:

“Que eu me permita olhar e escutar e sonhar mais.

Falar menos. Chorar menos.

Ver nos olhos de quem me vê a admiração que eles me têm, e não a inveja que prepotentemente penso que têm.

Escutar com meus ouvidos atentos, e minha boa estática, as palavras que se fazem gestos, e os gestos que se fazem palavras.

Permitir sempre escutar aquilo que não tenho me permitido escutar.

Saber realizar os sonhos que nascem em mim, e por mim e comigo morrem por eu não os saber sonhos.

Então, que eu possa viver os sonhos possíveis e os impossíveis.

Aqueles que morrem e ressuscitam, a cada novo fruto, a cada nova flor, a cada novo calor, a cada nova geada, a cada novo dia.

Que eu me permita o silêncio das formas, dos movimentos, do impossível, da imensidão de toda profundeza.

Que eu possa substituir minhas palavras pelo toque, pelo sentir, pelo compreender, pelo segredo das coisas mais raras, pela oração mental.

Que eu saiba dimensionar o calor, experimentar a forma, vislumbrar as curvas, desenhar as retas, e aprender o sabor da exuberância que se mostra nas pequenas manifestações da vida.

Que eu saiba reproduzir na alma a imagem que entra pelos meus olhos, fazendo-me parte suprema da natureza, criando-me e recriando-me a cada instante.

Que eu possa chorar menos de tristeza e mais de contentamento.

E que meu choro não seja em vão, e que em vão não sejam minhas dúvidas.

Que eu não tenha medo de nada, principalmente de mim mesmo. Que eu não tenha medo de meus medos!

Que eu adormeça toda vez que for derramar lágrimas inúteis, e desperte com o coração cheio de esperanças.

Que eu faça de mim uma pessoa serena, dentro de minha própria turbulência.

Humilde diante de minhas grandezas tolas e ingênuas...

Que eu possa ensinar o pouco que sei, e aprender o muito que não sei.

Traduzir o que os mestres ensinaram, e compreender a alegria com que os simples traduzem suas experiências.

Respeitar incondicionalmente o ser. O ser por si só, por mais nada que possa ter além de sua essência.

Auxiliar a solidão de quem chegou. Render-me ao motivo de quem partiu. E aceitar a saudade de quem ficou.

Que eu possa amar e ser amado. Que eu possa amar mesmo sem ser amado.

Fazer gentilezas quando recebo carinho. Fazer carinhos mesmo quando não recebo gentilezas.

Que eu jamais fique só, mesmo quando eu me queira só”.
 
*    *    *

Quanto são importantes os momentos a sós conosco mesmo.

O exercício de se questionar, de conversar consigo, de se conhecer, é grande instrumento de evolução de que dispomos.

Na turbulência dos dias que não param, das muitas atividades e preocupações, esses momentos de meditação, de autoconvívio, irão determinar a saúde de nossa alma.

Muitos se perdem de si mesmos neste turbilhão ameaçador, e dificilmente se encontram a tempo.

Os que escolhem o caminho da meditação, da auto-análise, do autoconhecimento, adoecem menos e vivem mais – vida em abundância...


 

Redação do Momento Espírita com base no texto de Oswaldo Antônio Begiato, recebido pela internet.


 
Foto

Foto: Aquela expectativa além do que pode ser e ter, traz muitas vezes frustrações e, consequentemente, infelicidade.

Muitos desejam conquistas exorbitantes; poucos conseguem perceber que não é possível. Esses são levados à tristeza, depressão, e sentimento de inferioridade por não ter conseguido aquilo que imaginou ser o certo. 

Aceitar nossas limitações e possibilidades afasta nossa mente de delírios, levando-nos a uma vida tranquila, saudável. 

Não é errado querer e desejar, porém, o equívoco vem quando não controlamos e disciplinamos nossos pensamentos.

Foto

Foto

Foto
 

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

"Não sobrecarregues os teus dias com preocupações desnecessárias afim de que não percas a oportunidade de viver com alegria" (Emmanuel)



Foto
Invernos existenciais


Por mais bela e florida que seja a primavera, o verão sempre pede passagem e traz consigo os dias quentes.

E mesmo que desejemos reter os dias ensolarados e agradáveis, aproxima-se o outono e, como que obedecendo a um chamado superior, instala-se, silencioso e decidido...

Depois de um lindo espetáculo de cores, as folhas caem vencidas, transformando a paisagem...E o outono também parte...

Soberano, logo aparece o inverno e se faz sentir das mais variadas formas, com seus dias frios e cinzentos.

Passa o tempo e outra vez o espetáculo colorido de folhas e flores anuncia que a primavera está de volta...

E é assim que os ciclos das estações se repetem e trazem oportunidades de aprendizado para todos os seres vivos.

Semelhante às estações, o nosso viver também tem primaveras, verões, outonos e invernos...

Mas, nem sempre percebemos as lições que cada estação enseja, e nos desesperamos diante dos dias frios e cinzentos dos invernos existenciais.

A primavera é agradável, não há dúvida. Flores e perfumes tornam nossos dias mais alegres.

No entanto, se as flores surgem na primavera, é no inverno que acumulam as horas de frio necessárias para fazer brotar a gema floral com o choque térmico, no início da nova estação.

Sim! Se não fosse o frio não teríamos alguns tipos de flores e frutos.

O frio quebra a dormência das gemas que originarão a folhagem e os frutos na primavera, quando folhas e flores enfeitam a paisagem.

É assim que nós também podemos utilizar os invernos existenciais para favorecer a floração das virtudes que embelezam a nossa vida e nos trazem alegria...

Para as plantas, a escassez de umidade, o frio e a baixa luminosidade, ocasionadas pelo inverno, são qual jardineiro que desperta a vida adormecida em sua intimidade.

É assim que árvores e plantas perdem galhos e folhas, mas garantem floradas em todas as primaveras...

Por vezes, os seres humanos também passam pelos invernos existenciais e perdem temporariamente a exuberância. Sentem-se como uma árvore desfolhada, sem flor nem perfume...

Mas que importa se a vida que pulsa, além das aparências, está se preparando para produzir flores mais belas e perfumadas nas primaveras vindouras?

Geralmente são os dias mais difíceis que acordam em nós as sementes adormecidas da esperança...

Não há dúvida de que os dias ensolarados e alegres são encantadores, mas são os dias difíceis que mais desafiam as nossas potencialidades e quebram a concha da nossa acomodação...

O sofrimento que nos fustiga a alma é abençoado aguilhão que nos faz despertar para os valores reais da vida.

Assim, diante dos açoites do inverno, pense nas preciosas lições da natureza.

Observe as árvores desfolhadas, quais esqueletos nus na paisagem cinzenta e sem brilho, mas em pé... Firmes e cheias de esperança.

Suportam os ventos, a chuva, o frio e a falta de luz, mas conservam a seiva da vida na intimidade... Instintivamente aguardam o retorno da primavera que, com sua brisa morna, vem acariciar as flores e fazê-las frutificar...
 
*    *    *

Aproveite os dias ensolarados para armazenar o vigor que o sustentará nos invernos existenciais... E, quando os dias escuros surgirem na sua vida, não permita que a tristeza lhe roube a esperança de ver surgir, outra vez, a primavera...

Lembre-se que, mesmo nos dias nublados, o sol está sempre à espreita, esperando sua vez de brilhar e espalhar vida por sobre toda a natureza...


 

Redação do Momento Espírita.
Em 08.03.2010.
 


Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes


Gif de boa tarde

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

"Pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará." Paulo (Gálatas, 6:7) ....."Não é preciso morrer na carne para conhecer a lei das compensações. Reparemos a luta vulgar. O homem que vive na indiferença pelas dores do próximo, recebe dos semelhantes a indiferença pelas dores que lhe são próprias. Afastemo-nos do convívio social e a solidão deprimente será para nós a resposta do mundo. Se usamos severidade para com os outros, seremos julgados pelos outros com rigor e aspereza. Se praticamos em sociedade ou em família a hostilidade e a aversão, entre parentes e vizinhos encontraremos a antipatia e a desconfiança. Se insultamos nossa tarefa com a preguiça, nossa tarefa relegar-nos-á à inaptidão. Um gesto de carinho para com o desconhecido na via pública granjear-nos á o concurso fraterno dos grupos anônimos que nos cercam. Pequeninas sementeiras de bondade geram abençoadas fontes de alegria. O trabalho bem vivido produz o tesouro da competência. Atitudes de compreensão e gentileza estabelecem solidariedade e respeito, junto de nós. Otimismo e esperança, nobreza de caráter e puras intenções atraem preciosas oportunidades de serviço, em nosso favor. Todo dia é tempo de semear. Todo dia é tempo de colher. Não é preciso atravessar a sombra do túmulo para encontrar a justiça, face a face. Nos princípios de causa e efeito, achamo-nos incessantemente sob a orientação dela, em todos os instantes de nossa vida." (Emmanuel)




Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes
Ante a injustiça


O missionário do bem se mostrava muito triste. Há dias, não conciliava o sono.

Tendo se dedicado ao próximo, de forma integral, recebia as pedradas de uma grande injustiça.

E sofria. Doía-lhe a cabeça. A alma sangrava.

Rogando o socorro dos benfeitores da vida, seu Guia Espiritual lhe apareceu e, ouvindo-lhe a mágoa, recordou-lhe que o mal não deve ser valorizado.

Tu é quem estás dando valor à injustiça. Se dás valor à mentira, deves sofrer o efeito da mentira.

Se tu sabes que não é verdade, por que estás sofrendo?

E para o confortar, lhe narrou a seguinte parábola:

Havia uma fonte pequena e insignificante, perdida num bosque. Um dia, um viajante passou por ali, atirou um balde, retirou água e acabou com a sede.

A fonte ficou feliz e disse para si mesma:

"Como eu gostaria de poder dessedentar os viandantes, já que sou uma água preciosa."

E Deus permitiu que ela viesse à tona, de forma que as aves e os animais pudessem dela se servir.

"Que bom é ser útil. Gostaria de ir além, umedecer as raízes das árvores. Correr a céu aberto." - pensou a fonte.

Veio a chuva, ela transbordou e se transformou num córrego.

Feliz, desejou chegar ao mar, porque o destino dos córregos e dos rios é atingir o mar.

E o riacho se tornou um rio. O rio avolumou as águas. Mas, numa curva do caminho, havia um toro de madeira, impedindo-lhe a passagem.

O rio tentou passar por baixo, contornar. Sem êxito. Então o rio cresceu e transpôs o obstáculo com firmeza.

No seu percurso, foi levando seixos, pedras, pequenos empecilhos que encontrou.

Quando algo imovível se apresentava à frente, ele crescia e o transpunha, até alcançar o mar.

E concluiu o benfeitor espiritual:

Todos nós somos fontes de Deus. Um dia, alguém se acercou de ti e pediu para beber da água que tinhas.

A felicidade te encheu a alma e pediste a Deus para servir mais. Então, transbordaste de amor e cresceste.

A alegria cantava hinos aos teus ouvidos. Agora, quando uma dificuldade se apresenta, tu choras?

Faze como o rio. Transpõe as pedras das dificuldades. Não fiques a te lamentar.

Tua fatalidade é o mar, o grande oceano da misericórdia Divina.
 
*    *    *

Pode ser que, em tua vida, estejas a passar por algo semelhante.

Aproveita a lição. Não permitas que os maus te entravem a trilha por onde segues.

Confiante, ora e suplanta as dificuldades.

Injustiças te perseguem? Não faças caso, não as valorizes, porque somente a verdade é imperecível.

Os homens que cometem as injustiças, logo mais não estarão mais na Terra.

Como tu mesmo. Preocupa-te somente em oferecer as águas do teu amor a quem necessita.

Não permitas que a inveja e a maldade empanem o brilho das tuas conquistas.

O que importa é a tua semeadura nobre, digna, de cada dia, para que, ao final da jornada, possas olhar para trás e ver somente o rastro de bênçãos que deixaste em tua caminhada.



Redação do Momento Espírita com base no cap. A parábola, do livro A veneranda Joanna de Ângelis, de Celeste Santos e Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.
 

Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes

 
Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes

 
 Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes

 
Foto: Se você orou tanto e, 
não conseguiu que seu sonho se concretizasse, 
não desista, e saiba que Deus sempre escuta as nossas preces, 
mas nem sempre estamos aptos ou somos merecedores 
de receber aquilo que pedimos, como também, 
pode ser que isto não nos convém no momento.
Pense nisso!!!
 
Foto: Bom dia, e que Deus lhe de muita coragem para vencer mais este dia...

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

"Aprende a pensar em termos de eternidade para que o internato no corpo físico não te empane a visão da vida. Uma existência na Terra constitui precioso, mas, breve aprendizado, em que sob a ficha de certo reduto familiar, conquistas o privilégio de avançar para diante nas sendas evolutivas ou a permissão de recapitular as próprias experiências. Não te esqueças, porém de que a morte se incumbirá de interromper-te o usufruto das regalias humanas, na aferição dos valores ou dos prejuízos que hajas angariado em favor ou desfavor de ti próprio, a fim de que não percas a necessária renovação para o grande amanhã. Assevera a ciência terrena que herdaste, em função da genética, os caracteres dos próprios antepassados, próximos ou longínquos, entretanto, no fundo, não recolhes dos outros a riqueza das qualidades nobres ou o fardo dos sofrimentos, mas sim de ti mesmo, das próprias obras semeadas, vividas e revividas, de vez que somos, quase sempre, na ribalta do mundo, os mesmo intérpretes do drama redentor, guardando conosco as bênçãos ou as dores que amealhamos dentro da luta, embora ostentando máscaras diferentes. Hoje, pagamos dívidas de ontem, mas é possível venhamos a solver amanhã compromissos pesados que deixamos em distante pretérito, exigindo-nos atenção. Recebe a aflição e a dificuldade, aliviando as aflições e as dificuldades alheias; pede auxílio, auxiliando; roga o socorro do Céu, socorrendo aos que te rodeiam na Terra, porque entre os panos do berço e os panos do túmulo, desfrutas simplesmente um dia curto no tempo ilimitado, dentro da vida imperecível, baseada na justiça perfeita e no amor sem fim." (Emmanuel)



 
Foto: Pensamento do Dia
Quando calamos o que pensamos, matamos nossos sonhos...
Comece por você

 
Para quem tem olhos de ver, em toda parte ensinamentos se fazem presentes.

No túmulo de um bispo anglicano, que está na cripta da Abadia de Westminster, na praça do Parlamento, em Londres, pode-se ler o seguinte:

Quando eu era jovem, livre, e minha imaginação não tinha limites, eu sonhava em mudar o mundo.

À medida que me tornei mais velho e mais sábio, descobri que o mundo não ia mudar. Reduzi, então, meu campo de visão e resolvi mudar apenas meu país.

Mas acabei achando que isso, também, eu era incapaz de mudar.

Envelhecendo, numa última e desesperada tentativa, decidi mudar apenas minha família, os mais próximos, mas, ai de mim, eles não estavam mais ali.

Agora, no meu leito de morte, de repente percebo: se eu tivesse primeiro me empenhado apenas em mudar a mim mesmo, pelo meu exemplo eu teria mudado minha família.

Com a inspiração da família e encorajado por ela, teria sido capaz de melhorar meu país e, quem sabe, poderia até ter mudado o mundo.

*    *    *

Quase sempre, pensamos e agimos exatamente assim. É comum lermos um trecho do Evangelho e logo pensarmos como aquelas frases seriam muito importantes para alguém da nossa família.

Quando ouvimos uma palestra edificante, que concita ao bem, logo nos vem à mente o pensamento de que seria muito bom se determinada pessoa estivesse ali para ouvir.

Isso faria muito bem para ela! É o que dizemos para nós mesmos.

Como esta informação a poderia modificar, mudar sua forma de agir.

Quando estamos vinculados a uma determinada religião, o pensamento não é diferente.

Ficamos a desejar que nossos parentes, nossos amigos, colegas professem a mesma crença, comunguem dos mesmos ideais.

Por vezes, chegamos a nos tornar um pouco inconvenientes, ou talvez até em demasia, mandando recados, frases escolhidas para os amigos.

Tudo nesse intuito de que eles as leiam, as absorvam e coloquem em prática.

São frases que se referem aos bons costumes, à ética, à moral e quem as recebe, com certeza, pensará também:

Seria muito bom que o remetente colocasse em prática essas fórmulas. Ele precisa disso.

Por isso é que o Mundo ainda não é esse local especial que tanto ansiamos: um oásis de compreensão, com aragem de paz e fontes cantantes de fraternidade.

Porque cada um de nós deseja, pensa, anseia por mudar o outro. Por fazer que o outro se revista de compreensão, de polidez.

Contudo, o Modelo e Guia da Humanidade estabeleceu que cada um deve dar conta da sua própria administração.

Administração da sua vida, dos seus deveres, da sua missão.

O mundo é a somatória de todos nós, das ações de todos os homens.

Cabe-nos pois a inadiável decisão de nos propormos à própria melhoria.

E hoje, hoje é o melhor dia para isso. Nem amanhã, nem depois.

Hoje. Comecemos a pensar em que poderemos nos melhorar.

Quem sabe, um gesto de gentileza? Que tal um Bom dia? Um Obrigado, um sorriso?

Pensemos nisso.




Redação do Momento Espírita.


 
Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes

Foto: Para receber as nossas mensagens edificantes clique em "curtir" na nossa página GotasDePaz - Mensagens Edificantes

Foto: Que essa mensagem possa lhe dar forças para vencer a única pessoa que pode te impedir de alcançar o sucesso: VOCÊ!
Vença seus medos e realize tudo o que deseja.
Boa semana!
 
Foto: Tenhamos paciência
Tenhamos paciência com os nossos semelhantes, pois todos têm suas dificuldades e limitações.  Muitas vezes queremos que o outro tenha o nosso entendimento, mas se analisarmos com acuidade, perceberemos que cada qual tem o seu grau de conhecimento e entendimento, e, não podemos exigir as mesmas atitudes 
de todos.  Não julguemos, mas sim auxiliemos. Não critiquemos, mas sim, procuremos compreender as razões que levam alguém a agir dessa ou daquela forma, e se necessário ajudemos na medida do possível. Somos seres dotados de características próprias. Cada um possui peculiaridades que lhe são natas e que não se confundem com as dos outros. Estamos aqui para interagirmos, trocarmos experiências e nos auxiliarmos mutuamente.  Somos individualidades, mas dependemos uns dos outros. 
Fazemos parte do Universo de nosso Criador e somos todos filhos do mesmo Pai. Por tudo isso, busquemos fazer ao próximo tudo o que gostaríamos que fizessem por nós.  Jamais tomemos atitudes impensadas e ruins em relação ao próximo, para que mais tarde não sejamos surpreendidos pelo arrependimento e pelo remorso.  Ainda que nos firam, roguemos amparo ao nosso Divino Mestre Jesus, oremos e confiemos que o tempo tudo resolve e chegará o dia em que realmente nos reconheceremos como verdadeiros irmãos, filhos de um mesmo Pai, onde só haverá espaço para o amor, a paz, a alegria e a fraternidade.
Tenham todos um bom domingo com todos os seus familiares!!!

 

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

"Planejar a infelicidade dos outros é causar com as próprias mãos um abismo pra si mesmo."..."A caridade é um exercício espiritual. Quem pratica o bem coloca em movimento as forças da alma." ...."Cada dia que amanhece assemelha-se a uma página em branco, na qual gravamos os nossos pensamentos, ações e atitudes. Na essência, cada dia é a preparação de nosso próprio amanhã." (Chico Xavier)




Foto
Egoísmo


O egoísmo é a fonte da maioria absoluta dos males que assolam a Humanidade.

A exagerada preocupação com os próprios interesses faz com que qualquer coisa que os contrarie tome desmedida importância.

Essa forma equivocada e rasteira de perceber a vida a todos prejudica.

Primeiro, tira a paz do próprio egoísta, que se angustia em suas tentativas de submeter o mundo aos seus interesses.

Segundo, causa danos à sociedade, que não pode ser harmônica enquanto seus integrantes se digladiam.

Já a solidariedade e a preocupação com o bem-estar coletivo disseminam a felicidade.

Tome-se como exemplo a questão da segurança.

Os habitantes das grandes cidades vivem em estado de alerta, com medo de serem molestados.

Quem pode contrata serviço de vigilância para sua residência.

Há preocupação constante com os filhos e os parentes em geral.

Teme-se um assalto, um sequestro relâmpago, um golpe de qualquer ordem.

Tal situação é típica de uma sociedade egoísta.

Se a preocupação com os próprios interesses fosse menor, poderiam ser encontradas formas de resolver o problema.

Mas, para isso, o objetivo das criaturas não poderia ser fazer crescer a qualquer custo o próprio patrimônio.

É bom e natural que os homens se preocupem em conquistar bens que lhes garantam uma vida digna, e fomentem o progresso.

Mas quando a busca das coisas materiais é exacerbada, ela causa grandes problemas.

Numa sociedade em que a grande maioria está despreocupada com o bem-estar coletivo, as disparidades crescem.

É impossível que todos conquistem exatamente o mesmo nível de conforto.

Os homens são diferentes em talentos e habilidades.

Mas é necessário assegurar condições para que todos conquistem o mínimo indispensável a um viver digno.

Quando o homem consegue ver o próximo como um semelhante, torna-se solidário.

A dor do outro dói tanto quanto a sua.

A miséria e o desemprego na casa do vizinho são tão trágicos como se fossem na sua residência.

Imagine como seria bom viver em uma sociedade segura.

Sair tranqüilo na rua, mesmo à noite.

Mandar seus filhos para a escola, certo de que ninguém os molestaria.

Está nas mãos de todos adotar as providências iniciais para uma reforma social.

Essa reforma principia pela modificação do próprio comportamento.

A reforma íntima é uma dura batalha.

É mais fácil vencer os outros do que a si mesmo.

Mas não há equívocos no Universo, que é regido pela Sabedoria Divina.

Cada qual vive no meio que lhe é mais adequado.

Se você deseja viver em paz, comece a burilar o seu interior.

Preste atenção em todas as suas atitudes que revelam egoísmo.

Esse egoísmo pode ser pessoal, familiar ou de classe.

Analise o que você deseja para você, para sua família ou para sua classe profissional.

Há como estender tais vantagens para os outros?

O custo de suas regalias não é excessivamente alto para os semelhantes?

Certamente vale a pena moderar um pouco os próprios anseios, em prol de uma vida harmoniosa.

De nada adianta enriquecer causando o empobrecimento alheio.

Não é possível viver em paz em meio à miséria e a dor dos semelhantes.

A genuína felicidade surge quando se aprende a compartilhar.

Quem experimenta a ventura da solidariedade jamais volta atrás.



Redação do Momento Espírita.
Em 21.11.2008.



Foto

Foto

Foto: ♥☼♥