sexta-feira, 1 de novembro de 2013

"Agradece as mãos que te constróem a existência, decorando-a com as tintas da alegria e da esperança, mas endereça os teus pensamentos de gratidão àquelas outras que te ferem com os espinhos da incompreensão, ensinando-te a conviver e a servir. Agradece as vozes que te embalam os anseios, entretecendo hinos de paz e amor com que te inspiram as melhores realizações, no entanto, envia as tuas vibrações de reconhecimento àquelas outras que te exageram essa ou aquela falha, induzindo-te a compreender e a perdoar. Agradece aos amigos que te proporcionam mesa farta, impulsionando-te a pensar na abastança da Terra, mas não recuses respeito àqueles que, em algum tempo, te sonegaram o pão, levando-te a prestigiar a fraternidade e a beneficência. Agradece aos irmãos que te reconhecem a nobreza de sentimentos, louvando-te o trabalho, entretanto, não olvides o apreço que se deve àqueles outros que te menosprezam, auxiliando-te a descobrir os tesouros da humildade e da tolerância. Certa feita, um pedaço de carbono sumido no monturo pediu a Deus o levasse para a superfície da Terra, a fim de ser mais útil. O Supremo Senhor ouviu-lhe a súplica e determinou fosse ele detido no subsolo para a devida maturação. O minério humilde aceitou a resposta e permaneceu na clausura, por séculos e séculos, suportando a química da natureza com o assalto constante dos vermes que habitavam o chão. Chegou, por fim, o tempo em que o Criador mandou arrancá-lo para atender-lhe aos ideais. Instrumentos de perfuração exumaram-no a golpes desapiedados e o lapidário cortou-lhe o corpo, de vários modos, em minucioso burilamento. Mas quando o carbono sublimado surgiu, de todo, aos olhos do mundo, Deus o havia transformado no brilhante, que passou a brilhar, entre os homens, parecendo uma flor do arco-íris com o fulgor das estrelas." (Meimei)

 
 
 
Encante-se
 

Você já se encantou alguma vez com coisas simples?

Com a água que cai, límpida e transparente, tocando sua pele com carinho, deixando-a aveludada e perfumada...

Com a planta de mil folhas, onde se escondem os vasos condutores da seiva, nos traços mais perfeitos...

Com o mar, na sua imensidão, suas tonalidades esverdeadas e a luz beijando a superfície no vai e vem...

Com o inseto minúsculo, camuflando o seu mini-sistema de vida, com asas desenhadas pelo Pintor perfeito...
]
Com o sol longínquo, a abraçar seu corpo ofertando poderosa energia em toda a extensão...

Com a inocência da criança, que acredita que o mundo já é perfeito, distribuindo o sorriso sincero e a confiança permanente...

Com a fidelidade dos animais domésticos...

Com a diversidade de raças, rostos e cores que dão vida ao planeta...

Com as cores do arco-íris que se confundem e ao mesmo tempo são distintas...

Com a risada sincera e desembaraçada que limpa a alma e o coração...

Com os alimentos, na sua multiplicidade de cores e sabores que saciam a fome e mantêm as energias das células, sustentando a vida...

Com as montanhas, em múltiplas e sucessivas camadas, sumindo no horizonte...

Com a alegria que brota dos corações, entre amigos sinceros...

Com a inteligência dos homens, que a cada segundo é superada por novas e úteis descobertas...

Com o poder do pensamento, que transforma tudo em realidade...

Com as lições de amor que o meigo Rabi da Galileia nos deixou...

Enfim, você já se encantou alguma vez com coisas simples como um gesto sincero, sem disfarce?

Com o olhar seguro, sem desvio?

Com o toque suave, com energia?

Com o pensamento puro, sem hipocrisia?

Pense nisso!

As imagens impressas em calendários, cartões postais, folhetos, existem porque alguém se encantou com essas paisagens, flores, animais ou algum detalhe da natureza...

E não precisa muito esforço para perceber essas belezas singelas com que a natureza enfeita nossos caminhos diários.

Vale a pena se deixar encantar com as coisas simples que estão ao nosso redor...

Pense nisso e aproveite as oportunidades!

Encante-se com as coisas simples da vida!
 


Texto da Equipe de Redação do Momento Espírita.
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!
Adorei!
Com estima e apreço,
Myrna.